Horizonte Minerals fecha contratos de US$ 135 milhões para projeto no Pará

A empresa britânica produzirá ferroníquel para abastecer o mercado de aço inox

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Foto: Rebecca Cook/ Reuters
Foto: Rebecca Cook/ Reuters

Instalação de bateria em fábrica de automóveis. Níquel é um dos principais componentes para a produção de baterias.

Acessibilidade


A mineradora britânica Horizonte Minerals anunciou hoje (4) o fechamento de contratos que somam US$ 135 milhões  com fornecedores de equipamentos para o Projeto Araguaia, no Pará, enquanto a companhia avança com o empreendimento para tirar proveito de um mercado impulsionado pelo setor de baterias.

A construção na cidade de Conceição do Araguaia, que começou em maio, está em fase de terraplanagem. A expectativa da empresa é que os equipamentos, que serão produzidos no exterior, comecem a chegar ao Pará em outubro, para que o projeto possa iniciar a produção em 2024.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

“Os principais equipamentos já estão contratados, para que a gente tenha a primeira produção para o fim do primeiro trimestre de 2024, conforme previsto no cronograma”, disse o diretor de finanças da Horizonte Minerals, Tiago Miranda, em entrevista à Reuters.

O Araguaia produzirá ferroníquel para abastecer o mercado de aço inox. Da sua extração virá também o níquel, cuja principal destinação será o mercado de baterias.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A mina, que tem vida útil inicial prevista para 28 anos, produzirá até 14.500 toneladas por ano de níquel. Esse volume pode chegar a 29.000 toneladas, segundo a empresa, com a entrada em operação da linha 2, prevista para 2027.

A título de comparação, a Vale (VALE3), uma das gigantes globais do setor, projeta produzir até 190 mil toneladas de níquel em 2022, em todas as suas operações.

“Temos alguns estudos da Universidade Mackenzie que mostram a atual demanda mundial de níquel de 2,6 milhões toneladas/ano chegando a 4,2 milhões de toneladas em 2040. E a oferta não acompanhando essa demanda. O projeto entra no mercado em um momento em que o mundo pede níquel”, disse Miranda.

A cifra de US$ 135 milhões dos contratos com empresas fornecedoras de equipamentos representa cerca de 27% de todo o investimento previsto para o projeto, de US$ 500 milhões.

Considerando-se os outros contratos já fechados –de itens como insumos e serviços– os investimentos acertados até agora chegam a quase 59% do total.

“Os contratos já totalizam US$ 293 milhões, devidamente previstos em orçamento, e significam continuidade e impulso positivo na construção no Projeto Araguaia”, disse o CEO da Horizonte Minerals, Jeremy Martin, em nota.

Entre esses equipamentos estão, por exemplo, fornos e rotativos da dinamarquesa FLSmidth, equipamentos para britagem da finlandesa Metso Outotec, entre outros.

No final do ano passado, a Horizonte Minerals obteve um pacote de financiamento no valor de US$ 633 milhões para desenvolver o Araguaia.

O capex do projeto é estimado em US$ 500 milhões para a construção da linha 1, e o planejamento é usar os fundos adicionais para capital de giro e financiar a linha 2.

>> Inscreva-se ou indique alguém para a seleção Under 30 de 2022

Compartilhe esta publicação: