3 atitudes para se livrar da síndrome de impostora

Amy Cuddy ensina que presença é "confiança sem arrogância" e dá dicas de como transmitir poder por meio da linguagem corporal.

Lidija Globokar
Compartilhe esta publicação:
Getty Images
Getty Images

Amy Cuddy é autora do livro “Presença: Trazendo Seu Eu Mais Ousado Para Seus Maiores Desafios”. Ela olha para a presença de um ângulo diferente, como o estado de estar sintonizado

Acessibilidade


Presença ou “estar presente” são conceitos frequentemente usados no contexto do mindfulness (ou atenção plena, em tradução livre). Trata-se de estar no momento, focar na respiração e observar seus pensamentos. Mas o termo ganhou uma nova dimensão graças ao trabalho da psicóloga social Amy Cuddy e seu livro “Presença: Trazendo Seu Eu Mais Ousado Para Seus Maiores Desafios”. Ela olha para a presença de um ângulo diferente, como “o estado de estar sintonizado e capaz de expressar confortavelmente nossos verdadeiros pensamentos, sentimentos, valores e potencial”, ou como um de seus leitores colocou: “Presença é confiança sem arrogância”. E quem não quer isso?

Nos momentos em que nos sentimos uma fraude e acreditamos que não somos boas ou suficientes, ou quando temos medo de que nossos colegas ou gestores descubram que não somos tão competentes quanto eles pensam que somos – é aí que a síndrome do impostor entra em cena. E esse não é um problema apenas das mulheres: pelo menos dois terços dos alunos da Harvard Business School sofrem disso – sendo que mais de 60% são homens. Como é algo comum e que pode ocorrer várias vezes ao longo da vida, também é mais apropriado chamar de experiência impostora e não de síndrome, pois não é uma doença em si.

Então, vamos ver como a presença pode servir como antídoto para esse problema comum.

Conheça seus valores

Os valores são como seu guia pessoal, que o ajudam a navegar pela vida. Os valores o ancoram e o ajudam a permanecer firme. Depois de conhecer seus valores e por que cada um deles é particularmente importante para você, você já se sentirá mais seguro de si mesmo. Um estudo mostrou que estudantes de graduação que participaram de um exercício de autoafirmação, em que escreveram uma redação sobre seus principais valores duas semanas antes de um exame importante, conseguiram um melhor desempenho no exame. Além disso, eles se sentiram menos estressados. Isso significa que não importa qual situação estressante você possa enfrentar, isso o ajudará a enfrentá-la quando você se lembrar de seus principais valores e por que eles são importantes para você.

Mantenha uma postura de poder

Manter uma postura de poder enviará mensagens de autoconfiança e poder pessoal ao seu cérebro. Você pode fazer isso permanecendo na famosa pose de poder por um tempo (pernas afastadas e braços levantados), mas basicamente qualquer postura aberta e expansiva serve. Muitas vezes, pensamos que nossos pensamentos ou mente controlam nosso corpo, mas o contrário também é verdadeiro. Ao enviar mensagens de autoconfiança e poder pessoal ao seu cérebro, você poderá controlar sua mente, seus pensamentos e seu comportamento. Muito bom para ser verdade? Tente e veja você mesmo. Se quiser se aprofundar nas diferentes posições de poder, assista ao Ted Talk de Amy Cuddy sobre isso aqui.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.
Divulgação
Divulgação

Amy Cuddy ensina como ter uma linguagem corporal que indica poder e confiança

Você pode tornar isso parte de sua rotina matinal, ou talvez praticar antes de uma reunião ou apresentação importante – mesmo que as pessoas não o vejam, elas perceberão que você está mais confiante. Pode até funcionar se você simplesmente se imaginar ocupando esse espaço e permanecendo em seu poder – nossa mente (e corpo!) é uma ferramenta poderosa.

Pratique, pratique, pratique

Quanto mais você estiver ciente de sua linguagem corporal e de sua postura, mais você entenderá seus pensamentos, sentimentos e comportamentos em determinadas situações. Depois de ganhar mais consciência, tente adaptar sua linguagem corporal – sente-se ereto, ocupe mais espaço (você pode até ocupar espaço diminuindo a velocidade ao falar). Consequentemente, as pessoas vão te ouvir mais e te perceber de forma diferente, você vai aumentar sua presença, e o impostor vai ficando cada vez menor.

Ao estar mais presente, você será muito mais resiliente às influências externas. Aumentará sua força interior, realmente será dono de seus pensamentos, sentimentos e comportamentos, e todos eles serão alinhados. Você perceberá que não é o seu impostor quem está atrás do volante da sua vida, mas você

 

Compartilhe esta publicação: