Em versão online, Grammy Awards adota inteligência artificial da IBM

Divulgação
Divulgação

Por conta da pandemia da Covid-19, esta será a primeira vez que a cerimônia será realizada de forma virtual, sem plateia, com apresentações remotas dos artistas

A 63ª edição Grammy Awards, maior premiação da indústria musical, será realizada hoje (14). Por conta da pandemia da Covid-19, esta será a primeira vez que a cerimônia será realizada de forma virtual, sem plateia, com apresentações remotas dos artistas.

Para garantir que os fãs tenham uma experiência única e inesquecível sem sair de casa, a Recording Academy uniu-se à IBM para desenhar uma tecnologia capaz de engajar e atrair os espectadores por meio de cloud e inteligência artificial. Em parceria, as empresas fizeram vários workshops de design thinking e desenvolveram uma experiência interativa e 100% digital que usa tecnologias de nuvem e processamento de linguagem natural (natural language processing – NPL).

Siga todas as novidades do Forbes Tech no Telegram

O Grammy Debates with Watson promoverá um debate de música com curadoria da IA, disponível para os fãs em todo o mundo. A experiência permite que os fãs exponham seus pontos de vista sobre temas relacionados à música, como o artista mais inovador, principal ícone de estilo do momento e até mesmo uma discussão sobre se os shows virtuais são melhores do que os presenciais, adicionando seus argumentos prós ou contras, em resumos de oito a 36 palavras, por meio do portal online. Hospedada no Grammy.com, a plataforma conta com um processamento por IBM Watson das informações e dados dos debates, fornecendo análises das submissões em tempo real.

“O lançamento do Grammy Debates with Watson dá aos espectadores da premiação um caminho totalmente novo para engajar com outros amantes de música e fazer parte da conversa. É ótimo continuar inovando com a IBM as nossas experiências digitais e de fãs para explorar como a IA e a tecnologia de nuvem podem ser aplicadas para tornar nossos shows de premiação mais interativos para os espectadores”, diz Lisa Farris, chief marketing & innovation officer da Recording Academy. 

A IBM vai, ainda, potencializar a experiência digital do Grammy Backstage por meio do Red Hat OpenShift, plataforma de nuvem híbrida de possibilidade aberta, com cargas de trabalho rodando em múltiplas nuvens públicas e privadas. A gigante de tecnologia migrará o ambiente digital que hospeda o pré-show, a Grammy Awards Premiere Ceremony, e os conteúdos adicionais da premiação, como artigos, galeria de fotos e destaque de vídeos para a IBM Cloud, onde é possível dimensionar, com segurança, a disponibilização do Grammy Backstage para mais de 7 milhões de fãs ao redor do mundo que acompmanharão a noite mais prestigiada da música.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).