Conheça a cama de hotel que coíbe a disseminação do coronavírus

Reprodução Forbes
Reprodução Forbes

Colchão antiviral estará disponível para consumidores domésticos

Entre as atuais preocupações dos turistas ao fazer check-in nos hotéis durante a pandemia de Covid-19 está a limpeza e desinfecção das superfícies de contato. A maioria dos hotéis intensificou a limpeza, incluindo a remoção de objetos de tecido nos quais o vírus pode se alojar. Mas os colchões não eram, até então, motivo de desconforto. A Serta Simmons Bedding, empresa que fornece grande parte dos colchões para o setor de hospitalidade, acaba de anunciar uma parceria com o HeiQ Group, líder em inovação têxtil, para criar o primeiro colchão antiviral do mercado norte-americano.

“Sabemos que nossos parceiros nos setores de hospitalidade e saúde estão fazendo tudo o que podem para ajudar a proporcionar um ambiente mais limpo e tranquilizar as pessoas”, diz David Swift, presidente e CEO da Serta Simmons Bedding. “Os colchões antivirais e antibacterianos serão um grande trunfo nesse esforço.”

VEJA TAMBÉM: Forbes promove primeiro webinar sobre Saúde Mental nas empresas. Participe

A tecnologia HeiQ ViroBlock™ foi previamente aprovada pela Diretiva Europeia de Dispositivos Médicos para uso antiviral em equipamentos de proteção individual da área da saúde e registrada como antiviral ativo pela EPA alemã. A solução também foi testada independentemente e classificada com eficácia de 99,99% em 30 minutos contra o SARS-CoV-2 pelo Peter Doherty Institute – joint venture entre a Universidade de Melbourne e o Royal Melbourne Hospital. Com aprovações pendentes do FDA (o equivalente à Anvisa nos EUA) e da Agência de Proteção Ambiental para ações de marketing, a empresa lançará as linhas Serta e Beautyrest HeiQ ViroBlock. A Aimbridge Hospitality, que opera um amplo portfólio de hotéis nos EUA e no Caribe, incluindo as marcas Aloft e Hyatt Place, já manifestou interesse, assim como várias companhias globais que, dada a natureza prematura das discussões, preferem não ser citadas..

O processo, em termos mais simples, funciona da seguinte maneira: a tecnologia de microsilver, que atrai partículas de vírus, combinada com uma tecnologia que quebra a membrana viral, é trançada através do tecido do colchão e age como um ímã de atração, provocando ligações e quebras até que o vírus esteja inativo. Os testes de envelhecimento concluíram que os tecidos trabalhados com HeiQ Viroblock mantinham suas características antivirais por três anos e qualidades antibacterianas por duas décadas. E para aqueles que desejam comprar suas próprias camas de hotel depois de experimentá-las, elas também estarão disponíveis para consumidores domésticos.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Participe do canal Forbes Saúde Mental, no Telegram, e tire suas dúvidas.

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).