O lado doce de Bordeaux além do vinho tinto

Conheça a região dos vinhedos de uvas com altos teores de açúcares e onde, de produtor em produtor, a viagem é uma aventura.

Liza B. Zimmerman
Compartilhe esta publicação:
Reprodução-Forbes
Reprodução-Forbes

Vinhedos estão espalhados por oito regiões. Há castelos impressionantes, bem como ótimos pequenos restaurantes.

Acessibilidade


Quando os turistas vão a Bordeaux pela primeira vez, são os grandes castelos, os Châteaux, que tendem a chamar a atenção: os grandes nomes, a arquitetura impressionante e as adegas deslumbrantes. No entanto, como alguém que felizmente viaja para Bordeaux com alguma frequência há duas décadas, uma das minhas viagens mágicas foi para a região em torno de Cadillac – sim, o carro leva o nome dele – e para as oito sub-regiões que produzem off-road. Bordeaux branco seco.

Antes de começar ter como verdade que esses vinhos são muito doces e não combinam com comida, pense novamente. Muitos deles são bem equilibrados com acidez revigorante que são ótimas combinações para opções de pratos asiáticos, bem como muitas cozinhas francesas clássicas. São também ótimos aperitivos e bebidas para depois do jantar, acompanhando sobremesas à base de fruta e caramelo.

As oito regiões são Cérons, Sainte-Croix-du-Mont, Premières Côtes de Bordeaux, Cadillac, Loupiac, Saint-Macaire, Bordeaux Supérieur e Bordeaux Moelleux. A conhecida área de Sauternes recebe muito mais tráfego e glamour, pois seus vinhos sempre foram bem caros e bem avaliados. Por isso, é divertido explorar algumas dessas regiões menos conhecidas pela sua beleza e pelo grande valor do vinho que oferecem.

Há castelos impressionantes em todas as oito regiões, bem como ótimos pequenos restaurantes. Muitos dos Châteaux também recebem hóspedes, o que é uma ótima maneira de explorar e relaxar em uma dessas propriedades.

No rastro da história

Os romanos plantaram as primeiras vinhas nestas regiões. De carro e trem, os vinhedos que antes eram difíceis de alcançar, agora são facilmente acessíveis a partir de Bordeaux. E quando você não estiver comendo e bebendo bobagens na região há inúmeras ciclovias e belas trilhas para caminhadas (assim como rios para explorar).

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A área abriga mais de 350 propriedades e 1.800 hectares de vinhas, segundo a Union des Vins Doux de Bordeaux. Dessa região, 38% da produção de vinho é exportada e, infelizmente, o número total de produtores está diminuindo.

Reprodução-Forbes
Reprodução-Forbes

São frequentes as referências aos romanos, que plantaram os primeiros vinhedos

As oito denominações foram criadas em 2009 pela Union des Grands Vins de Bordeaux Sweet. Enquanto isso, o consumidor americano há muito expressa uma preferência por vinhos secos, mas na realidade gosta bastante de alguma doçura no copo. Estes vinhos são elaborados a partir de um blend de uvas, que varia de produtor para produtor, das castas Sémillon, Sauvignon Blanc e Muscadelle. A maior parte dos vinhos são bem feitos e oferecem uma ótima relação custo-benefício.

Botrytis cinerea, ou “podridão nobre”, precisa estar presente para que esses vinhos sejam criados. Quando as manhãs enevoadas são seguidas por tardes ensolaradas, a podridão nobre entra nas cascas das uvas e aumenta naturalmente os níveis de açúcar das uvas.

Alguns destaques que valem

A maioria dos vinhos maravilhosos que provei não estão disponíveis em todos os mercados: mas espero que caro leitor, no caso você, peça ao seu vendedor de vinhos para colocar mais alguns nas prateleiras, assim que terminar esta história.

O Château de Cerons 2019 foi fresco, frutado com bom comprimento e notas de toranja e cítricas. O 2015 foi profundo, rico e intenso, com notas de marmelo e pêssego no paladar. O próprio Château é lindo e a hospitalidade de Xavier e Caroline Perromat – que assumiu a propriedade há uma década – foi acolhedora. Eles oferecem uma visita guiada e degustação dos vinhos da propriedade, seguida de uma refeição na cozinha aconchegante do Chateau.

Reprodução-Forbes
Reprodução-Forbes

Pôr do sol no Chateau Biac faz parte das atrações

Chateau Biac é uma propriedade deslumbrante a partir do minuto em que você entra e se vê cercado por vistas incríveis do rio Garonne. Se gostar bastante da sua visita, pode até ficar numa das charmosas casas de hóspedes da propriedade. Ela agora pertence a uma família libanesa liderada por Youmna Asseily.

A família passou muitos anos de férias na região, antes de comprar a propriedade. O doce Bordeaux da família é chamado Secret de Biac e tem aromas encantadores de frutas de caroço. Youmna é um grande chef e serviu o Secret de Biac 2008, com notas de baunilha e especiarias, com o queijo cipriota Halloumi com doce de tomate temperado. A safra de 2010, com aroma de pêra e frutas cítricas, foi harmonizada com um pudim de leite com água de flor de laranjeira e água de rosas.

A formação internacional da família Asseily fala de uma cena vinícola em rápida evolução em Bordeaux que está atraindo investimentos estrangeiros. Nea Berglund, do Château Carsin, é finlandesa e seu pai comprou a propriedade em 1990. Sempre rebelde, Nea gosta de beber o vinho doce Cadillac do Château com água tônica.
Outro favorito foi o Chateau.

Loupiac-Gaudiet 2018, servido com ostras frescas da praia próxima em Arcachon. O cítrico fresco do vinho funcionou lindamente com as ostras. A propriedade também abriga um castelo que pode ser alugado por uma semana ou fim de semana.

Coisas para não perder

O mercado do fazendeiro em Cadillac é um deleite. Quando estava lá, havia um transbordando de cogumelos sazonais, berinjela e rabanete. Depois de uma boa caminhada pelo mercado, você pode se retirar para o La Cave Cadillac, um bar de vinhos no centro de Cadillac que oferece saladas e outros pratos leves. A padaria local também é um deleite.

Reprodução-Forbes
Reprodução-Forbes

Além dos vinhos, os pães também podem ser considerado iguarias

Um complemento divertido para um passeio de um dia também seria uma viagem a Arcachon: onde os Bordelaise vão à praia. Uma vez lá, você pode enfiar os pés na areia e comer ostras e beber Bordeaux branco, para satisfazer seu coração.

*Liza B. Zimmerman é colaboradora da Forbes EUA e consultora de vinhos, coquetéis e comidas há mais de duas décadas. Já viajou para cerca de 50 países avaliando vinhos.

Compartilhe esta publicação: