China enviará IFA para 16,6 milhões de doses de vacinas da Covid, abaixo de 25 milhões esperadas

Os imunizantes serão da CoronaVac e AstraZeneca.

Redação
Compartilhe esta publicação:
Amanda Perobelli/Reuters
Amanda Perobelli/Reuters

O embaixador da China no Brasil anunciou a liberação para envio nos próximos dias de lotes de insumos para produção de 16,6 milhões de doses das vacinas CoronaVac e AstraZeneca

Acessibilidade


O embaixador da China no Brasil, Yang Wanming, anunciou hoje (20) em reunião virtual com governadores a liberação para envio nos próximos dias ao Brasil de lotes de insumos para a produção de 16,6 milhões de doses das vacinas CoronaVac e AstraZeneca contra a Covid-19, o que representa uma redução em relação à estimativa divulgada anteriormente pelo Ministério da Saúde.

“Na conversa com o Fórum dos Governadores informei a liberação dos novos lotes de IFA pra produzir no total 16,6 milhões de doses da CoronaVac e Vacina AstraZeneca, que chegarão no Brasil nos próximos dias. A China, fraterna com o povo brasileiro, está comprometida em parceria de vacinas“, disse ele, no Twitter.

LEIA MAIS: China reduz volume de IFA da CoronaVac a ser remetido ao Brasil, diz Butantan

Nos últimos dias a previsão da quantidade de IFA (Insumo Farmacêutico Ativo) a ser remetido pela China para a produção de vacinas pelo Instituto Butantan e pela Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) foi caindo.

Inicialmente, a expectativa era o Brasil receber IFA suficiente para produzir 25 milhões de doses das duas vacinas: 18 milhões da vacina AstraZeneca pela Fiocruz e outras 7 milhões da CoronaVac pelo Butantan.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Mais recentemente esses quantitativos caíram para, respectivamente, 12 milhões e 5 milhões. Agora o embaixador falou em 16,6 milhões, sem especificar quanto seria para cada tipo de imunizante.

Um dos participantes do encontro virtual com o embaixador, o governador de São Paulo, João Doria, cujo governo é responsável pelo Butantan, pediu ajuda ao embaixador da China para evitar atrasos na liberação do IFA para a produção da CoronaVac.

O Butantan e Doria afirmam que recentes ataques do presidente Jair Bolsonaro à China têm interferido diretamente no cronograma de liberação de novos lotes de insumos pelos chineses.

O embaixador afirmou, segundo nota do governo paulista, que a China vai liberar insumos para ambas as vacinas.

“A China vai continuar a fornecer insumos para o Brasil e não vamos colocar obstáculos políticos, nem tratamento diferenciado na liberação de insumos para a CoronaVac ou para a vacina AstraZeneca. Desejamos o máximo de esforço”, afirmou Yang Wanming, segundo declarações divulgadas pela assessoria do governo paulista. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: