Montblanc lança linha de canetas em homenagem ao Taj Mahal

Reprodução Forbes
A coleção é composta por três canetas-tinteiro únicas, com uma linda exibição de técnicas artesanais, desde o corte e a configuração das pedras aplicadas até a gravação feita à mão, a esmaltagem e a aplicação em ouro

Resumo:

  • Linha de canetas exclusiva lançada pela Montblanc celebra elementos da tradição Mughal e seu governante mais notável, Shah Jahan;
  • Série é composta por três modelos de canetas-tinteiro únicas, adornadas com técnicas de confecção artesanal;
  • Modelos compartilham o mesmo design curvo em referência à adaga recebida por Shah Jahan em sua coroação.

A Montblanc está expandindo os limites do design de canetas mais uma vez. Desta vez, na linha High Artistry, que celebra o monumento mais famoso da Índia: o Taj Mahal. A coleção homenageia as opulentas tradições artísticas da dinastia Mughal e a influência de um de seus governantes mais marcantes, Shah Jahan.

A coleção é composta por três ferramentas de escrita manual. São canetas-tinteiro únicas, com uma linda exibição de técnicas artesanais, desde o corte e a configuração das pedras aplicadas até a gravação feita à mão, a esmaltagem e a aplicação em ouro. As três canetas variam em aparência, graças aos diferentes materiais e pedras preciosas usadas, mas compartilham uma forma curva única, inspirada em uma adaga Mughal tradicional, um sinal de poder.

VEJA TAMBÉM: Pilot comemora 100º aniversário com edição limitada

O topo da caneta lembra a cúpula do Taj Mahal, que foi construído durante a Idade de Ouro dos Mughals, encomendado por Shah Jahan, em 1632, como o local de descanso final de sua esposa predileta. As partes dianteiras das peças exibem representações das decorações tradicionais da cultura Mughal.

As canetas são desprovidas de clipes, no lugar apresentam uma pena, em referência ao trono de pavão feito para Shah Jahan no início do século 17. O trono, considerado um dos mais magníficos já criados, apresentava duas caudas de pavão douradas cravejadas de diamantes, rubis e outras pedras preciosas.

Existem outras versões do Taj Mahal – em edições de cinco, dez e 76 canetas – e cada uma é decorada com perfeição no verdadeiro estilo Montblanc, seja em ouro amarelo ou ouro em tom de champanhe.

Veja, na galeria a seguir, detalhes das nova linha da Montblanc:

  • Edição Limitada 1 Black Myth

    Como o próprio nome sugere, a coloração em preto e branco desta edição é inspirada na lenda de que Shah Jahan planejava construir o inverso do Taj Mahal, apenas em preto. Lore diz que o objetivo era de que o novo monumento ocupasse o lado oposto do rio Yamuma e do local de descanso de sua esposa.

    A caneta é feita de ouro branco e coberta com safiras pretas e diamantes de lapidação brilhante, com um diamante de corte de 6,24 quilates na coroa da tampa. A pena de pavão é cravejada com diamantes individuais, totalizando cerca de 13,68 quilates, e seu centro é decorado com um cabochão de opala redondo que pode ser destacado para revelar uma flor de lótus na marchetaria de madrepérola. A ponta da caneta de ouro amarelo de 18 quilates é gravada com dois periquitos e cravejada com um diamante de lapidação brilhante.

  • Edição Limitada 1 Insignia of Power

    Shah Jahan recebeu uma adaga de seu pai na tradição Mughal na época de sua coroação para confirmar seu status de poder. Inspirada nisso, a caneta é feita de ouro amarelo de 18 quilates decorada com rubis ásperos e coroada com um diamante de mina de 6,42 quilates, em reconhecimento às famosas minas de pedras da Índia. A pena de pavão é cravejada de baguete e diamantes de corte individual – aproximadamente 16,78 quilates – e o centro é adornado com um cabochão de rubi gravado que pode ser destacado para revelar uma pintura em miniatura de esmalte de uma margarida, que simboliza amor. Aqui, também, a ponta de ouro de 18 quilates é gravada com dois periquitos e cravejada com um diamante de lapidação brilhante.

  • Edição Limitada 1 Tears of the Moon

    As esmeraldas, chamadas “lágrimas da lua” na corte de Mughal e em todo o Império, eram gravadas com textos sagrados e usadas como talismãs pessoais, passados de pai para filho. A caneta é feita de ouro amarelo 18 quilates, decorada com rubis, esmeraldas e diamantes em um estilo que lembra a pedra Kundan. A coroa possui uma esmeralda de corte de 6,10 quilates, e a pena de pavão é cravejada com cerca de 14,79 quilates de diamantes. O diamante de lapidação individual pode ser destacado para revelar uma pintura em esmalte em miniatura de um pássaro. A ponta de ouro amarelo 18 quilates é novamente gravada com dois pássaros, desta vez um tsavorite.

Edição Limitada 1 Black Myth

Como o próprio nome sugere, a coloração em preto e branco desta edição é inspirada na lenda de que Shah Jahan planejava construir o inverso do Taj Mahal, apenas em preto. Lore diz que o objetivo era de que o novo monumento ocupasse o lado oposto do rio Yamuma e do local de descanso de sua esposa.

A caneta é feita de ouro branco e coberta com safiras pretas e diamantes de lapidação brilhante, com um diamante de corte de 6,24 quilates na coroa da tampa. A pena de pavão é cravejada com diamantes individuais, totalizando cerca de 13,68 quilates, e seu centro é decorado com um cabochão de opala redondo que pode ser destacado para revelar uma flor de lótus na marchetaria de madrepérola. A ponta da caneta de ouro amarelo de 18 quilates é gravada com dois periquitos e cravejada com um diamante de lapidação brilhante.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).