Cade investiga compra da Mediplan pela NotreDame

Reuters
Órgão: foram identificadas ‘preocupações’ em cidades do interior de SP

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) informou que vai analisar a compra da Mediplan pela NotreDame Intermédica. A operação de compra da Mediplan, dona do Hospital Samaritano e do Hospital e Maternidade Samaritano, em Sorocaba (SP), foi anunciada pela NotreDame Intermédica em julho passado. “De acordo com o parecer da superintendência, foram identificadas preocupações concorrenciais apenas em cidades do interior do estado de São Paulo, sobretudo em Sorocaba e municípios próximos”, afirmou o órgão antitruste em comunicado.

LEIA MAIS: Notre Dame Intermédica: oferta de ações de R$ 2,7 bi

O Cade também apontou que a NotreDame e a Mediplan são as concorrentes mais próximas no mercado de planos de saúde coletivos, ofertando planos com custo significativamente menor que os demais concorrentes.

“A superintendência do Cade concluiu que, diante da inexistência de outros rivais efetivos, é provável o exercício de poder de mercado por parte das empresas em um cenário pós operação. Isso poderia resultar em aumento de preços dos planos de saúde oferecidos por elas”, adiciona o documento.

No mercado de hospitais, o Cade afirmou não ter constatado preocupações concorrenciais e, embora NotreDame e Mediplan tenham considerável participação, o órgão apontou que há significativa capacidade ociosa nos demais hospitais da região.

O tribunal do Cade pode aprovar ou reprovar a operação ou ainda indicar adoção de eventuais remédios que afastem problemas concorrenciais. O prazo legal para a decisão final é de 240 dias, prorrogáveis por mais 90.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Forbes no Facebook: http://fb.com/forbesbrasil
Forbes no Twitter: http://twitter.com/forbesbr
Forbes no Instagram: http://instagram.com/forbesbr

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).