Leilão de portos movimenta R$ 219,5 milhões

Reuters
Dois consórcios arremataram as quatro áreas ofertadas na bolsa paulista

O governo federal levantou R$ 219,5 milhões com o leilão de quatro áreas portuárias em certame realizado na bolsa paulista hoje (22), segundo a B3.

LEIA MAIS: Aena arremata Nordeste, lote mais cobiçado do leilão de aeroportos

A licitação coordenada pela Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) envolveu o arrendamento de áreas para movimentação, armazenagem e distribuição de combustíveis, com três delas no porto de Cabedelo (PB) e uma no de Vitória (ES).

O Consórcio Nordeste venceu a disputa pelos três primeiros lotes, com ofertas de R$ 6 milhões, R$ 18 milhões e R$ 30,5 milhões, respectivamente. E o Consórcio Navegantes Logística arrematou a concessão da área no Porto de Vitória, ao oferecer pagar outorga de R$ 165 milhões.

A valor mínimo da outorga foi fixado em R$ 1 para cada área, de acordo com informação da Agência Brasil.

Os investimentos previstos nos quatro terminais são de R$ 199 milhões e o prazo de concessão é de 25 anos.

As áreas no porto paraibano são classificadas como ‘brownfield’, regiões já existentes e devem receber melhorias. E o terminal VIX30, no Porto de Vitória, é ‘greenfield’, área nova, sem estrutura física.

VEJA TAMBÉM: Consórcio da CCR vence leilão da linha 15 do Metrô-SP

O certame ocorreu apenas uma semana após o governo federal ter passado à iniciativa privada a administração de 12 aeroportos, divididos em três lotes, leilão que levantou R$ 2,38 bilhões em valores de outorga.

Para dia 28 de março, também na B3, está previsto o leilão para concessão da ferrovia Norte-Sul.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Forbes no Facebook: http://fb.com/forbesbrasil
Forbes no Twitter: http://twitter.com/forbesbr
Forbes no Instagram: http://instagram.com/forbesbr

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).