American Airlines corta previsão de lucro em 2019

Genérica
Analistas esperam, em média, ganhos de US$ 5,63 por ação, segundo dados do Refinitiv

A American Airlines cortou a previsão de lucro para 2019 hoje (26), dizendo que espera um golpe de US$ 350 milhões com a suspensão dos aviões 737 MAX da Boeing, uma situação que diminui a receita enquanto muitos custos permanecem.

LEIA MAIS: Como a Embraer planeja vencer a guerra aérea urbana

A American Airlines retirou seus 24 aviões 737 MAX da sua escala de voos até 19 de agosto e cancelou 1.200 voos no primeiro trimestre.

Os aviões 737 MAX, suspensos em todo o mundo em março, após dois acidentes em outras companhias aéreas, representam apenas cerca de 2% da capacidade de voo da American no verão do hemisfério norte, quando serão cancelados cerca de 115 voos diários.

Como resultado, a American, com sede no Texas Fort Worth, disse que agora espera que seu lucro ajustado de 2019 seja de US$ 4 a US$ 6 por ação, a partir de uma previsão anterior de entre US$ 5,50 a US$ 7,50 por ação.

Analistas esperam, em média, ganhos de US$ 5,63 por ação, segundo dados do Refinitiv.

A American, companhia aérea número 1 em tráfego de passageiros, também disse que espera que as despesas com combustível para o ano sejam cerca de US$ 650 milhões mais altas do que a previsão anterior, citando uma recente alta nos preços do petróleo.

A companhia divulgou lucro líquido no primeiro trimestre de US$ 185 milhões, ou US$ 0,41 por ação, em comparação com US$ 159 milhões, ou US$ 0,34 por ação, um ano antes.

A receita operacional total subiu 1,8%, para US$ 10,58 bilhões, marginalmente abaixo das estimativas de US$ 10,60 bilhões, segundo dados do Refinitiv.

Ainda assim, o presidente-executivo, Doug Parker, disse que a demanda continua forte até o verão. A American espera que a receita unitária, uma medida de desempenho observada de perto, que compara as vendas com capacidade de voo, aumente entre 1 e 3 por cento no segundo trimestre.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).