Dólar crava 4ª semana de alta ante real

Getty Images
Dólar termina o dia com alta de 0,39%

O dólar fechou em alta hoje (9) e engatou a quarta semana consecutiva de valorização, numa semana marcada pelo acirramento das disputas comerciais entre norte-americanos e chineses que elevou temores sobre uma recessão global.

LEIA MAIS: Dólar abre com pouca variação ante real

O dólar à vista fechou em alta de 0,39%, a R$ 3,942 na venda. Na semana, a moeda acumulou valorização de 1,30%. Na B3, o dólar futuro tinha elevação de 0,50%, para R$ 3,9465.

O dólar subiu em oito das últimas dez sessões, em movimento puxado sobretudo pelo ambiente internacional, onde escalaram preocupações com a economia global conforme China e EUA endureciam o tom na batalha tarifária enfrentada entre ambos há mais de um ano.

A moeda norte-americana saltou 5,42% no somatório das quatro semanas seguidas de ganhos. Mas tamanha apreciação começa a alimentar expectativas de alguma correção de baixa.

“Acreditamos que o movimento recente do real foi mais intenso do que seria consistente com os fundamentos atuais e o aumento do prêmio de risco”, disseram analistas do Itaú Unibanco, que veem espaço para “alguma apreciação”. O Itaú manteve estimativa de dólar a R$ 3,80 ao fim de 2019, mas vê a cotação indo aos R$ 4 no término de 2020.

Nesta semana, o dólar futuro bateu R$ 4,0000 pela primeira vez desde 31 de maio. Analistas do Bradesco consideram que os efeitos do quadro externo mais turbulento são “transitórios”. Por isso, mantiveram expectativa de dólar a R$ 3,80 reais para o fim de 2019 e 2020.

“Os fundamentos das contas externas e a melhora da perspectiva de solvência fiscal devem levar a uma apreciação adicional da moeda, uma vez passada essa fase de maior volatilidade”, afirmou o Bradesco em relatório.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).