Dona da Timberland e da Vans diz que não comprará mais couro brasileiro

Max Rossi/Reuters
Timberland não comprará mais couro brasileiro de forma direta

A empresa norte-americana controladora das marcas Timberland, Vans e Kipling disse hoje (29) que não comprará mais couro brasileiro de forma direta, enquanto incêndios na Amazônia levantam questionamentos sobre a gestão ecológica na maior floresta tropical do mundo.

LEIA MAIS: Governo edita decreto que proíbe queimadas por 60 dias

Milhares de incêndios florestais na região amazônica vêm ocorrendo há semanas, o que já levou a um exame mais aprofundado da indústria brasileira de carne bovina, um dos principais motores econômicos do país.

A holding VF Corp afirmou que retomará a compra de couro do Brasil quando tiver “confiança e garantia de que os materiais utilizados em nossos produtos não contribuem para os danos ambientais no país”.

A medida foi um dos primeiros sinais de um impacto econômico concreto da controvérsia sobre os incêndios, que o presidente brasileiro Jair Bolsonaro afirmou estarem sob controle.

Em comunicado enviado à Reuters, a VF Corp alegou não ter podido comprovar que a origem desta matéria-prima obedece a “requisitos responsáveis”.

“Assim, a VF Corporation e nossas marcas decidiram não adquirir mais diretamente couro e peles do Brasil para nossos negócios internacionais até termos confiança e garantia de que os materiais utilizados em nossos produtos não contribuem para os danos ambientais no país”.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).