Alibaba revela chip de IA autodesenvolvido para computação em nuvem

Reuters
Hanguang 800 fornece pesquisa de produtos, tradução automática e recomendações personalizadas nos sites

O Alibaba Group Holdings anunciou hoje (25) que desenvolveu um chip especializado em tarefas de aprendizado de máquina e que será usado para aprimorar os serviços de sua divisão de computação em nuvem.

LEIA MAIS: Jack Ma sai da presidência do Alibaba; conheça a trajetória do bilionário

Chamado Hanguang 800, o primeiro chip de inteligência artificial (IA) desenvolvido pela empresa está atualmente sendo usado pela Alibaba para fornecer pesquisa de produtos, tradução automática e recomendações personalizadas nos sites da gigante do comércio eletrônico.

“O lançamento do Hanguang 800 é um passo importante em nossa busca por tecnologias de próxima geração, aumentando os recursos de computação que impulsionarão nossos negócios atuais e emergentes e, ao mesmo tempo, melhorando a eficiência energética”, afirmou Jeff Zhang, CTO da Alibaba, em comunicado.

A Alibaba não tem planos imediatos de vender o chip como um produto comercial independente, disse uma porta-voz da empresa.

Gigantes da tecnologia no exterior, como a Alphabet e o Facebook também estão desenvolvendo seus próprios chips personalizados, com o objetivo de melhorar o desempenho de tarefas especializadas de IA em data centers operados pela empresa.

O chip foi desenvolvido pela DAMO Academy, instituto de pesquisa Alibaba lançado no final de 2017, e pela T-Head, a divisão especializada de semicondutores da empresa.

A incursão da Alibaba no setor de chips ocorre em meio a esforços de Pequim para promover a indústria de semicondutores da China e reduzir a dependência do país de importações estrangeiras de tecnologias essenciais.

Na computação em nuvem, o Alibaba supera os rivais na China, comandando 47% do mercado de serviços de infraestrutura em nuvem no primeiro trimestre de 2019, segundo a empresa de pesquisa Canalys.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).