Grupo de luxo francês LVMH faz oferta para comprar joalheira Tiffany, dizem fontes

Getty Images

A ação impacta nos mercados norte-americano e chinês

A LVMH, proprietária da marca Louis Vuitton, abordou a Tiffany & Co com uma proposta de aquisição, disseram pessoas familiares com o assunto, num momento em que a joalheria norte-americana enfrenta dificuldades com as tarifas sobre suas exportações para a China.

LEIA MAIS: 4 Perguntas para Ralph Lauren, o mais rico estilista norte-americano 

Há anos em busca por maneiras de expandir sua posição no mercado dos Estados Unidos, a LVMH fez uma oferta preliminar e não vinculante pela Tiffany no início deste mês, disse uma das fontes, no sábado.

A Tiffany contratou consultorias para examinar a oferta da LVMH, mas ainda não deu uma resposta, e não está certo que estaria disposta a negociar, acrescentou uma das fontes.

Não foi possível saber o preço exato da oferta da LVMH para comprar a Tiffany, que tem um valor de mercado de 11,9 bilhões de dólares.

As fontes pediram para não serem identificadas porque o assunto tem natureza confidencial. A LVMH não quis comentar, enquanto a Tiffany não respondeu até a publicação os pedidos de comentário. A Bloomberg News noticiou mais cedo no sábado que a LVMH está em negociação como a Tiffany.

Dona de marcas como Fendi, Christian Dior e Givenchy, bem como da marca de champanhe Veuve Cliquot, a LVMH tem se destacado há muitos anos como uma das mais bem-sucedidas do setor de consumo de alto padrão, no qual nem todas as empresas têm conseguido se beneficiar no mesmo patamar do crescente apetite dos chineses por produtos de marca.

A Tiffany, por outro lado, não tem sido tão resiliente. Além das tarifas que têm sido impostas na guerra comercial entre os EUA e a China, um imposto menor sobre o consumo interno chinês também contribuiu para uma queda de dois dígitos nas vendas para turistas chineses nos EUA e em outros destinos.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).