Lucro trimestral do Goldman Sachs fica abaixo do esperado

O lucro líquido do banco aplicável aos acionistas ordinários caiu 27%, a US$ 1,79 bilhão no trimestre

O Goldman Sachs reportou lucro trimestral abaixo das estimativas de Wall Street hoje (15), atingido por receitas menores com assessoria financeira e fraqueza na atividade de subscrição.

LEIA MAIS: Morgan Stanley e Goldman Sachs devem liderar a listagem em bolsa do Airbnb

A receita de três de seus quatro principais negócios caiu, liderada por quedas na divisão de banco de investimentos devido a menos fusões e aquisições e IPOs.

O lucro líquido do banco aplicável aos acionistas ordinários caiu 27%, a US$ 1,79 bilhão no trimestre encerrado em 30 de setembro, de US$ 2,45 bilhões no ano passado. O lucro por ação caiu para US$ 4,79, ante US$ 6,28 no ano anterior.

A receita líquida total caiu 6%, para US$ 8,32 bilhões.

Os analistas, em média, esperavam lucro de US$ 4,81 por ação e receita de US$ 8,31 bilhões, segundo estimativa IBES da Refinitiv.

Os maiores bancos de Wall Street estão enfrentando vários desafios no crescimento de suas receitas, em grande parte devido à guerra comercial EUA-China em andamento e preocupações com novos cortes nas taxas de juros pelo Federal Reserve.

Sob o comando do presidente-executivo David Solomon, o Goldman realizou uma grande mudança de estratégia, de seu foco em ‘trading’ para a construção de um maior negócio de consumo, numa tentativa de proteger sua receita de oscilações violentas nos mercados financeiros.

VEJA TAMBÉM: Lucro do Goldman Sachs supera estimativas

O Goldman, que lançou recentemente um cartão de crédito com a Apple, também tentou construir novos negócios, mas os altos executivos do banco alertaram nos trimestres anteriores que esses esforços levarão tempo para dar frutos.

Principal rival do Goldman, o Morgan Stanley deve divulgar resultados trimestrais na quinta-feira (17).

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).