Senadores dos EUA pedem investigação sobre aquisições da JBS no país

Paulo Whitaker/Reuters
Senadores pedem que o CFIUS revise a compra da Swift, Smithfied Foods, Pilgrim’s Pride e do braço de suínos da Cargill no país

Senadores dos Estados Unidos pediram ontem (8) a abertura de investigação sobre aquisições feitas pela JBS no país, devido ao envolvimento da companhia brasileira com casos de corrupção no Brasil e na Venezuela.

LEIA MAIS: JBS tem lucro de R$ 2,18 bilhões no 2º trimestre

Em carta, os senadores Marco Rubio e Robert Menendez pedem que o Comitê de Investimento Estrangeiro nos Estados Unidos (CFIUS, na sigla em inglês) revise a compra de companhias do país pela JBS, incluindo Swift, Smithfied Foods, Pilgrim’s Pride e o braço de suínos da Cargill no país, entre 2007 e 2015.

“Essas aquisições têm sérias implicações para a segurança, proteção e resiliência do nosso sistema de alimentação”, afirmam os senadores da carta.

Os parlamentares alegam que durante os anos dessas compras nos EUA, a JBS se viu envolvida em uma ampla rede de atividades ilícitas, citando o caso em que a controladora J&F, em 2017, fez acordo para pagar US$ 3,2 bilhões por envolvimento em um escândalo de corrupção no Brasil.

“Tememos que a JBS tenha usado o financiamento ilegal que recebeu do BNDES, que somou mais de US$ 1,3 bilhão, para comprar empresas norte-americanas”, acrescenta a carta.

VEJA TAMBÉM: Procuradores cobram R$ 5,5 bilhões da JBS

Os senadores alertam ainda que a JBS se envolveu com parceiros suspeitos, incluindo com a entidade venezuelana Corpovex, e que os irmãos Wesley e Joesley Batista, da família controladora da J&F, tiveram ligação pessoal com Diosdado Cabello, oficial do governo de Nicolás Maduro.

Por fim, os senadores ainda se referem à crescente busca da JBS por recursos de entidades ligadas ao governo chinês para defender maior escrutínio da CFIUS sobre a empresa.

Em nota, a JBS afirmou que “cooperou totalmente com as autoridades norte-americanas, sempre de maneira transparente em relação aos eventos passados no Brasil”.

A empresa alegou que elevou a gestão de todas as empresas adquiridas nos EUA, “entregando resultados sólidos que proporcionaram o crescimento econômico de importantes comunidades agrícolas e que continuam criando oportunidades para muitos agricultores familiares e pecuaristas locais”.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).