Fundador do Cirque de Soleil é preso por cultivo de maconha

Reuters
Segundo a Lune Rouge, empresa de investimento em tecnologia e inovação, Laliberté foi interrogado quanto ao cultivo de maconha para uso pessoal em sua residência de Nukutepipi

O fundador do Cirque de Soleil, Guy Laliberté, foi libertado depois de ser colocado sob custódia policial na Polinésia Francesa por cultivar maconha, disse a firma de investimento de Laliberté na última quarta-feira (14).

VEJA MAIS: Bilionário por trás do Cirque Du Soleil estreia PY1 Pyramid

Sediada em Montreal, a empresa de investimento em tecnologia e inovação Lune Rouge disse que Laliberté, de 60 anos, foi interrogado quanto ao cultivo de maconha para uso pessoal em sua residência de Nukutepipi, uma pequena ilha no arquipélago do Pacífico Sul nos arredores do Taiti.

A firma disse em um comunicado que Laliberté, listado pela Forbes como bilionário em 2019, não foi acusado de tráfico de drogas e que deixou a sala do tribunal sem quaisquer condições às 19h30 de quarta-feira.

Laliberté “nega categoricamente e se dissocia completamente de quaisquer rumores que o impliquem na venda ou tráfico de substâncias controladas”, disse Anne Dongois, chefe de comunicações da Lune Rouge, em um comunicado por e-mail, descrevendo-o como um usuário de maconha medicinal.

A Reuters não conseguiu contato imediato com autoridades da Polinésia Francesa para obter comentários.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).