Novartis tenta aquisição de US$ 9,7 bi de fabricante de medicamento cardíaco

picture alliance_/Getty Images
O Inclisiran precisará de duas injeções por ano aplicadas por médicos

A farmacêutica suíça Novartis está apostando no futuro remédio para doenças cardíacas Inclisiran, em uma aquisição de US$ 9,7 bilhões do The Medicines Co conforme desafia os medicamentos cardiovasculares da Amgen, da Sanofi e da Regeneron Pharmaceuticals.

A Novartis está pagando US$ 85 por ação em dinheiro, um prêmio de 24% sobre o preço de fechamento da The Medicines Co de US$ 68,55 na sexta-feira (22), para adquirir o medicamento único da empresa de biotecnologia dos EUA, uma injeção para baixar o colesterol chamada Inclisiran.

LEIA MAIS: Farmacêutica está pagando US$ 85 por ação em dinheiro, um prêmio de 24% sobre o preço de fechamento da The Medicines Co

O acordo mostra que o presidente-executivo da Novartis, Vas Narasimhan, está pronto para gastar bilhões não apenas em tratamentos de doenças raras, como fez em 2018, quando pagou US$ 8,7 bilhões pela empresa especialista em terapia genética AveXis, mas também por medicamentos cardiovasculares destinados a um mercado com potencialmente milhões de pacientes.

O Inclisiran, que ainda tem de obter a aprovação dos reguladores, precisará de duas injeções por ano aplicadas por médicos, muito menos frequentes do que os tratamentos de 26 injeções do Repatha da Amgen e do Praluent da Sanofi e da Regeneron.

“Acreditamos que isso levará a um menor abandono do paciente”, disse Narasimhan aos investidores em uma teleconferência hoje (25). “Os clientes terão confiança sabendo que a administração do médico garantirá a conformidade do paciente”.

Narasimhan disse estar confiante de que o Inclisiran pode produzir um retorno atraente sobre o investimento e contribuir para as vendas a partir de 2021, condicionadas à aprovação regulatória e à conclusão do negócio.

“Vemos retornos muito acima do custo de capital”, disse o vice-presidente-financeiro Harry Kirsch. A Novartis planeja pagar com um terço vindo do caixa e dois terços de empréstimos de longo prazo.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).