Otimismo no exterior eleva apetite por risco e dólar cai contra real

iStock
iStock

Às 10:14, o dólar recuava 0,12%, a R$ 4,0883 na venda

O dólar caminhava para a terceira sessão de queda em relação ao real hoje (13), defendendo posição abaixo dos R$ 4,10, em dia de apetite por risco elevado no exterior com a visão de que dois obstáculos para os mercados globais – a guerra comercial entre Estados Unidos e China e o Brexit – chegaram ao fim.

Às 10:14, o dólar recuava 0,12%, a R$ 4,0883 na venda. Na B3, o dólar futuro caía 0,09%, a R$ 4,089.

LEIA MAIS: Dólar cai e fecha abaixo de R$ 4,10 com otimismo comercial no exterior

Depois de mais de um ano de incerteza e ansiedade nos mercados, a Casa Branca chegou a um “acordo em princípio” com Pequim sobre o comércio, em um progresso que pode significar o fim de uma disputa prejudicial entre as duas maiores economias do mundo.

No acerto alcançado, os Estados Unidos suspenderiam as tarifas que entrarão em vigor sobre US$ 160 bilhões em produtos chineses, e Pequim prometeu comprar mais produtos agrícolas dos EUA, informou a “Bloomberg”, sem mais detalhes.

Entretanto, nenhum dos dois países se pronunciou oficialmente ainda, e o silêncio de Pequim levou a questões sobre se os dois lados podem chegar a uma trégua em sua guerra comercial antes de uma nova rodada de tarifas entrar em vigor no domingo.

Na quinta-feira (11), após a notícia do acordo, o dólar à vista fechou a sessão em queda de 0,64%, a R$ 4,0931 na venda, menor nível para um encerramento desde 6 de novembro.

Além dos sinais positivos na frente comercial, estava no radar nesta sexta-feira o resultado das eleições britânicas, com a vitória esmagadora do atual primeiro-ministro, Boris Johnson, elevando as esperanças de que o Reino Unido saia de forma organizada da União Europeia.

VEJA TAMBÉM: Dólar tem ligeira queda ante real após decisão do Fed

“O movimento de hoje está dentro do previsto”, disse Camila Abdelmalack, economista da CM Capital Markets. “O dólar está mais enfraquecido por conta do melhor apetite por risco, tanto pelo resultado das eleições no Reino Unido quanto pelo noticiário comercial EUA-China, e isso favorece as moedas emergentes.”

No exterior, o índice do dólar tinha queda acentuada de 0,54% contra uma cesta de moedas fortes. Em relação a emergentes pares do real, como o peso mexicano e o rand sul-africano, a moeda norte-americana registrava perdas.

O Banco Central vendeu nesta sexta-feira todos os 10 mil contratos de swap cambial reverso e todos os US$ 500 mil em moeda spot ofertados.

Adicionalmente, na quinta-feira o BC anunciou para esta sexta e para 16 de dezembro leilões de linha de dólar com compromisso de recompra para rolagem do vencimento janeiro de 2020. Segundo a autoridade monetária, serão realizados dois leilões de rolagem de linhas de dólar, simultaneamente, por dia, com o banco aceitando o valor máximo de US$ 1,65 bilhão em cada um dos dias.

As ofertas vão ocorrer entre 10h20 e 10h25.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).