Realidade virtual ajuda crianças com autismo a viver no mundo real

gettyimages-ThomasBarwick
gettyimages-ThomasBarwick

A companhia espera que a abordagem ajude os alunos a se adaptarem ao mundo real e a desfrutarem novas experiências

Uma clínica especializada na Inglaterra está usando dispositivos de realidade virtual e mineração de dados para ajudar crianças com autismo a se acostumarem com situações que provavelmente encontrarão fora da escola.

Os funcionários da Prior’s Court, localizada em Berkshire, sul da Inglaterra, esperam que a abordagem ajude os alunos a se adaptarem ao mundo real e a desfrutarem novas experiências, como esquiar ou mergulhar.

Os cenários de realidade virtual introduzem as crianças a situações como visitar um shopping ou entrar em uma aeronave, sem deixar o conforto e a segurança da sala de aula.

“Nossos jovens têm dificuldades com questões sensoriais, de modo que podem achar assustador ir a lugares muito cheios de pessoas ou fazer a transição para um novo lugar”, disse à Reuters Nuno Guerreiro, professor de computação da Escola Prior’s Court School.

LEIA MAIS: Brasil precisa atrair estrangeiros para sanar atraso em IA

“Eles gostam do que é familiar, da rotina. Portanto, os dispositivos de realidade virtual permitem que eles vivenciem novas realidades e provavelmente os ajudem a fazer a transição quando precisam enfrentar um novo lugar.”

A Prior’s Court cuida de cerca de 95 jovens no espectro extremo do autismo, incluindo muitos que são incapazes de comunicar suas necessidades.

A instituição também espera que a tecnologia big data possa ajudar. Eles estão testando um novo sistema de coleta de dados, chamado Prior Insight, que reunirá uma imagem detalhada do dia de cada jovem, incluindo o que eles comeram, quanto exercício fizeram e como estão se comportando.

“Essas informações analisam incidentes convulsões, consumo de alimentos e bebidas, consumo de produtos de higiene, cuidados pessoais, quaisquer atividades que eles tenham realizado, além de dados sobre o sono”, disse a líder do projeto Elaine Hudgell.

“Esperamos não apenas aumentar nosso conhecimento e conscientização sobre o mundo dos jovens com autismo na Prior’s Court, mas também esperamos poder compartilhar isso com o mundo do autismo em geral”, acrescentou Hudgell.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).