13 minutos e US$ 13 milhões: a logística de organizar um show de intervalo no Super Bowl

Reuters
Reuters

Adam Levine do Maroon 5, rapper Big Boi e cantor Sleepy Brown se apresentam no show de intervalo do Super Bowl LIII no Mercedes-Benz Stadium no dia 03 de fevereiro de 2019 em Atlanta, Geórgia

O popular show de intervalo do Super Bowl, final da NFL, liga de futebol americano dos Estados Unidos, tem apenas 13 minutos, mas o extravagante evento e US$ 1 milhão por minuto depende de milhares de pessoas, meses de planejamento e precisão para ser organizado.

Os organizadores tem a tarefa de transformar o campo de futebol em um palco e de volta a um campo de futebol em menos de meia hora, sem danificar a superfície.

VEJA MAIS: Saiba onde assistir ao Super Bowl 2020 na capital paulista

O intervalo no Super Bowl 54, amanhã (2), entre São Francisco 49ers e Kansas City Chiefs, em Miami, será liderado pelas estrelas latinas da música pop Jennifer López e Shakira. Também terá a participação surpresa de outros artistas e cantores, disse Dan Parise, produtor que trabalhad com a Roc Nation, a empresa de entretenimento que produz o show para a National Football League (NFL).

A PepsiCo está patrocinando o show pelo oitavo ano consecutivo. Uma fonte com conhecimento direto do evento disse que custará por volta de US$ 13 milhões, valor que a porta-voz da NFL não quis confirmar.

“Há tantos aspectos, os dançarinos, a iluminação, os efeitos especiais”, disse Parise. “É como se fosse um grande quebra-cabeça.”

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).