Reino Unido proibirá carros movidos a gasolina em 2035

Jeremy Selwyn/Pool via Reuters
Jeremy Selwyn/Pool via Reuters

Boris Johnson participa da conferência do clima COP26, em Londres

O Reino Unido proibirá a venda de novos carros a gasolina, diesel e híbridos a partir de 2035, cinco anos antes do planejado, o que pode significar o fim de mais de um século de dependência do motor de combustão.

Se adotada globalmente, a medida pode impactar os lucros dos produtores de petróleo, transformar a indústria automobilística e um dos ícones do capitalismo do século XX: o automóvel.

LEIA MAIS: Uber fecha parceria com Hyundai para desenvolver carros elétricos voadores

O primeiro-ministro Boris Johnson está tentando usar o anúncio para elevar as credenciais ambientais do Reino Unido, após ter demitido o chefe da Conferência das Nações Unidas sobre Mudança Climática em Glasgow, planejada para novembro, conhecida como COP26.

“Temos que lidar com nossas emissões de CO2” , disse Johnson no evento de lançamento da COP26 no Museu de Ciência de Londres hoje (4). “Como país e como sociedade, como planeta, como espécie, devemos agir agora.”

O governo disse que, sujeito a consulta, irá acabar com a venda de novos automóveis movidos a gasolina, diesel e híbridos em 2035, ou mais cedo se uma transição mais rápida for possível.

Países e cidades em todo o mundo anunciaram planos para diminuir os usos de veículos a diesel. Os prefeitos de Paris, Madri, Cidade do México e Atenas disseram que planejam proibir veículos a diesel dos centros urbanos até 2025. A França está se preparando para proibir a venda de carros movidos a combustíveis fósseis até 2040.

Enquanto a demanda por veículos elétricos aumentou no Reino Unido, o segundo maior mercado da Europa para veículos novos, modelos a diesel e gasolina ainda representam 90% das vendas. Os potenciais compradores de modelos mais ecológicos se preocupam com a disponibilidade limitada de pontos de recarga, a variedade de modelos e o custo.

O governo disse no ano passado que estava fornecendo £ 2,5 milhões para financiar a instalação de mais de mil novas estações de recarga para veículos elétricos.

SONHO ELÉTRICO?

Enquanto algumas montadoras podem achar difícil sobreviver ao fim do motor de combustão, outras aceitaram o futuro em que os veículos elétricos prevalecem.

VEJA TAMBÉM: CEO da Ferrari espera carro totalmente elétrico só depois de 2025

Ford, Volkswagen e Vauxhall são as fabricantes dos automóveis mais vendidos no Reino Unido, segundo a Society of Motor Manufacturers and Traders. Tesla, Mitsubishi e BMW produzem os três carros elétricos mais vendidos do país.

A proibição representa uma ameaça para a Alemanha, já que o Reino Unido é o maior mercado de exportação para as montadoras do país, representando cerca de 20% das vendas globais, e carros elétricos levam menos tempo para serem montados do que as variantes híbridas ou com motores de combustão.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).