Federer doa US$ 1 milhão a famílias vulneráveis da Suíça

TPN/Getty Images
“Nossa contribuição é apenas um começo”, afirmou Roger Federer

Roger Federer se juntou à lista de estrelas do esporte que estão ajudando os necessitados durante a pandemia de coronavírus ao doar US$ 1,02 milhão para famílias vulneráveis ​​em seu país natal, a Suíça.

O atacante do Barcelona Lionel Messi e o técnico do Manchester City, Pep Guardiola, doaram € 1 milhão para ajudar clínicas e centros médicos a combater o surto.

LEIA MAIS: Tudo sobre o coronavírus

O atacante da Juventus Cristiano Ronaldo e seu agente Jorge Mendes também se uniram para doar equipamentos a hospitais portugueses.

“Estes são tempos difíceis para todos e ninguém deve ficar para trás”, escreveu Federer em comunicado divulgado no Twitter hoje (25).

“Mirka e eu pessoalmente decidimos doar 1 milhão de francos suíços para as famílias mais vulneráveis ​​da Suíça”, completou ele, se referindo à esposa Mirka.

Globalmente, mais de 420.700 pessoas foram infectadas pelo novo coronavírus e 18.820 morreram, segundo dados compilados pela Reuters. A Suíça tem quase 9.900 casos confirmados, com 122 mortes.

“Nossa contribuição é apenas um começo”, acrescentou Federer. “Esperamos que outras pessoas possam se juntar para apoiar mais famílias carentes. Juntos, podemos superar essa crise.”

Federer, que tem 20 títulos de Grand Slam, está atualmente se recuperando de uma cirurgia no joelho a que foi submetido no mês passado e planejava um retorno ao circuito em junho, a tempo de disputar o torneio de Wimbledon.

A temporada de tênis, no entanto, está suspensa até 7 de junho devido à pandemia.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).