Magalu e Sebrae se unem para digitalizar pequenos negócios

iStock
iStock

O Sebrae fará diagnóstico de maturidade da empresa para a entrada no e-commerce

Na última quinta-feira (23), Sebrae e Magalu firmam parceria para promover a digitalização de negócios que fecharam as portas devido ao isolamento social, medida adotada para conter o avanço no contágio pelo novo coronavírus. Para entender o atual cenário, apenas no Estado de São Paulo 460 mil estabelecimentos estão impedidos de realizar atendimentos presenciais, o que representa 70% do comércio, segundo a Fecomercio SP.

A plataforma Parceiro Magalu está no ar desde 31 de março e, em cerca de 20 dias, já tem 16 mil PMEs cadastradas, que podem expor seus produtos no site e no aplicativo do Magazine Luiza, alcançando potenciais 20 milhões de clientes, segundo a empresa. A partir desta quinta, a colaboração com o Sebrae será para, de acordo com a varejista, impulsionar o cadastro das PMEs e ainda oferecer auxílio técnico aos empreendedores, que terão de adotar novas práticas para controle de estoque e gestão financeira, por exemplo.

LEIA MAIS: Magazine Luiza dá início a processo gradual de reabertura de suas lojas físicas

O Sebrae fará diagnóstico de maturidade da empresa para a entrada no e-commerce, avaliará estratégias para alavancar as vendas, além de oferecer orientação sobre como vender mais e capacitar as empresas em gestão de loja online.

Sobre a exposição que as PMEs cadastradas na Parceiro Magalu poderiam vir a ter no marketplace da varejista, Leandro Soares, diretor-executivo de Marketplace do Magalu, afirma que a empresa está trabalhando em um projeto de visibilidade para os itens vendidos pelos empreendedores. “Temos banners na home do site e no aplicativo. Vamos, ainda, usar inteligência artificial e geolocalização para mostrar produtos de pequenos vendidos próximos dos clientes. Estamos desenvolvendo uma forte estratégia para potencializar as vendas dos parceiros”, diz.

Para os empreendedores da rede do Sebrae que aderirem à plataforma Parceiro Magalu, a taxa sobre as vendas será de 3,99% até 31 de julho. A partir da data, o valor será de 15%. A taxa de antecipação, caso seja de interesse do empresário antecipar o valor da venda, é de 0,99% ao mês.

O frete é feito pelos Correios, por meio de uma etiqueta de envio disponibilizada ao empreendedor direto na plataforma do Magalu. O empreendedor tem apenas que levar a mercadoria à uma agência dos Correios.

Para se cadastrar na Parceiro Magalu é preciso ter CNPJ aberto há pelo menos três meses, emitir nota fiscal eletrônica e ter produtos elegíveis a serem entregues pelos Correios. O empreendedor pode efetuar o cadastro pelo site www.parceiromagalu.com.br. Com a parceria, em 45 dias o Sebrae irá oferecer nas unidades de Pernambuco e São Paulo programas de capacitação para o ingresso na plataforma. De acordo com a instituição, todas as unidades terão os treinamentos em até quatro meses.

Confira os temas que compõe a metodologia que o Sebrae criou para orientar os empreendedores que aderirem à plataforma:

Consultoria de Gestão

Precificação

Estoque

Fluxo de caixa

Logística (picking-packing)

Clientes

Certificação Digital

Emissão de NF eletrônica

Consultoria Tecnológica (Sebraetec)

Cadastro da empresa na plataforma

Fotografia de produtos

Cadastro de Produtos

Descrição de Produtos

Divulgação nas redes sociais

Consultoria de Vendas online

Análise do perfil de consumo digital

Análise do portfólio de produtos

Elaboração de planejamento de posicionamento digital

Estruturação de estratégias de vendas online

(Agência Estado)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).