Volvo vai transferir produção de utilitário esportivo

Operação pretende evitar tarifas de importação impostas pelos EUA à China.

Redação, com Reuters
Compartilhe esta publicação:
Divulgação
Divulgação

A empresa está transferindo da China para a Europa a produção de seu veículo utilitário esportivo XC60 para o mercado dos EUA

Acessibilidade


A Volvo Cars está fazendo malabarismos com a produção de seu utilitário esportivo para evitar as tarifas de importação dos Estados Unidos, disse hoje (19) o presidente-executivo Hakan Samuelsson à Reuters, enquanto a empresa persegue o quinto ano consecutivo de vendas recordes.

LEIA MAIS: Volvo anuncia novo sedã esportivo S60

A empresa está transferindo da China para a Europa a produção de seu veículo utilitário esportivo XC60 para o mercado dos EUA, a fim de evitar as novas tarifas impostas por Washington sobre as importações chinesas, disse Samuelsson em entrevista depois de revelar um aumento de 29% no lucro operacional do segundo trimestre.

A Volvo, cuja controladora chinesa Geely está avaliando listar a empresa em bolsa, monta atualmente o compacto XC60 na Suécia para clientes europeus e na China para os demais mercados, incluindo os EUA.

“Vamos, naturalmente, fazer uma reacomodação e levar os XC60s produzidos para o mercado dos EUA para nossa fábrica na Europa, e deixar a China produzir para outros mercados”, disse presidente-executivo, acrescentando que a mudança já havia começado.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Adquirida pela Geely em 2010, a montadora de carros de luxo registrou o quarto ano seguido de vendas recordes, melhorando seu desempenho em relação às maiores rivais, a Mercedes e a BMW.

O lucro líquido subiu 40%, para 3 bilhões de coroas suecas (US$ 337 milhões) nos três meses encerrados em 30 de junho, enquanto a receita foi de 66 bilhões de coroas (US$ 7 bilhões), um aumento de mais de 25%. O lucro operacional foi de 4,2 bilhões de coroas (US$ 471 milhões), com fluxo de caixa livre positivo de 3,7 bilhões de coroas (US$ 415 milhões).

A Geely contratou Citigroup, Goldman Sachs e Morgan Stanley para preparar a listagem da Volvo em bolsa este ano, informou a Reuters em maio, uma operação que pode avaliar a empresa entre US$ 16 bilhões e US$ 30 bilhões.

Prometendo atingir um quinto recorde em 2018, Samuelsson disse que a Volvo está “bem posicionada para um novo período de crescimento global sustentável”. A empresa inaugurou recentemente sua primeira fábrica nos EUA, na Carolina do Sul, agora elevando a produção de sedãs S60.

Embora o investimento de US$ 1,1 bilhão nos EUA ofereça algum alívio às crescentes barreiras comerciais, a empresa continua dependente da importação de SUVs e sedãs grandes para o seu mercado de crescimento mais rápido. As vendas da Volvo nos EUA cresceram 40% no primeiro semestre.

Compartilhe esta publicação: