Ex-executivo da Sinochem tem pena de 12 anos de prisão

Cai Xiyou assumiu a culpa por receber propinas para manipular contratos

Redação, com Reuters
Compartilhe esta publicação:
Reuters
Reuters

Cai Xiyou foi acusado de ter recebido até US$ 7,8 milhões em propinas

Acessibilidade


Um tribunal chinês condenou o ex-gerente-geral do Sinochem Group a 12 anos de prisão, informou hoje (26) a TV estatal.

LEIA MAIS: Greg Kelly, ex-diretor da Nissan, é solto após fiança

Cai Xiyou, que liderou um dos maiores conglomerados químicos do mundo, foi colocado sob investigação em 2016. Ele se declarou culpado das acusações e disse que não iria recorrer, segundo o canal de televisão.

Cai foi nomeado para liderar a Sinochem em 2014, após uma longa carreira na China Petroleum e na Chemical Corp (Sinopec), onde ele antes atuou como membro do comitê do Partido Comunista, vice-presidente sênior e cônsul geral da Sinopec Corp.

O executivo foi acusado de ter recebido até 53,6 milhões de iuanes (US$ 7,8 milhões) em propinas para manipular contratos e facilitar vendas ilegais e compras de produtos refinados entre 1997 e 2016, durante seu tempo na Sinopec, inclusive enquanto era chefe da Unipec, braço de comercialização da Sinopec, e vice-presidente da Sinopec Group, disse a mídia estatal.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Já está no disponível no aplicativo ForbesBrasil a edição 64 com a lista Under30.
Baixe o app na Play Store ou na App Store.

Compartilhe esta publicação: