Como as relações humanas podem fortalecer sua startup

GettyImages/ Hinterhaus Productions
A tecnologia ainda não consegue substituir completamente o poder transformador das relações humanas

Lembre-se do último comercial, filme, programa que retrate um empreendedor de sucesso. Você encontra um tema comum? A primeira coisa que vem à mente é alguém embarcando em um avião, apertando as mãos ou assinando papéis. Um amigo me perguntou recentemente: por que proprietários de empresas inteligentes gastariam milhares de dólares para realizar coisas que poderiam ter feito por meio de um telefonema ou e-mail? Porque um bom produto não é suficiente para criar uma startup bem-sucedida.

Pense no seu aplicativo ou ferramenta favorito e no problema que ele resolve. Antes deste produto, como você ou as pessoas resolviam esse problema? O que a tecnologia fez foi cuidar de trabalhos antigos com soluções mais rápidas, baratas e melhores. Do ponto de vista comercial, nada mudou. Um ser humano cria, mantém e alimenta essas soluções disponíveis pela tecnologia. Portanto, os negócios ainda precisam e sempre vão focar nos relacionamentos humanos.

LEIA MAIS: 10 segredos para ter sucesso na sua startup

Um dos erros comuns que os empreendedores cometem é assumir que o sucesso da startup está relacionado apenas ao produto, quando a realidade é que um novo produto é como um diploma de faculdade que leva tempo e dinheiro, mas, eventualmente, todo aluno comprometido recebe um. Assim como graduações, bons produtos não garantem sucesso nos negócios. O que mais influencia em sua capacidade de construir uma carreira e negócios bem-sucedidos é a interação e os relacionamentos humanos.

Em startups, isso começa no momento da ideia. Reunir-se com os principais stakeholders, como futuros clientes, potenciais investidores, mentores, parceiros e membros da equipe, é o primeiro passo para fazer negócios da maneira certa.

Veja na galeria abaixo três razões para isso:

  • Entenda o cliente

    Na sua forma mais simples, os negócios se resumem à troca de valor. Quando você passa meses construindo um produto com base em hipóteses, corre o risco de criar uma solução que os clientes não desejam ou precisam. Nesse caso, forçar produtos indesejados na vida dos clientes não agrega valor ao que eles desejam realizar. É uma perda de tempo para eles e você. Mas ter uma conversa sobre as lutas deles e como você pode resolver esses problemas agrega valor. O melhor de tudo é que eles ajudarão você a criar um produto de que precisam e pagarão.

    Esta primeira reunião produtiva é a sua oportunidade de construir um relacionamento pessoal com futuros compradores. Se você deseja vender sua ideia antecipadamente, criar estudos de caso ou receber leads de referência, esta é sua segunda oportunidade de fazer negócios da maneira certa: apenas saia do prédio para cumprimentar as pessoas e construir relacionamentos.

  • Não subestime o offline

    Quando Apoorva Mehta, fundador da startup Instacart, ficou sem opções para ser aceito na aceleradora Y-Combinator, focou seus esforços no offline. Ele surpreendeu os parceiros da YC com uma entrega da Instacart em seu escritório. Isso os levou a convidá-lo para uma conversa presencial e acabaram aceitando-o no programa logo depois. Essa foi a primeira vez na história da YC que eles aceitaram uma startup depois de dois meses.

    A lição aprendida é que, se você quiser fazer algo, vá em frente. O pior que pode acontecer é receber uma rejeição honesta e direta, para que você possa seguir em frente com outras coisas. Quando foi a última vez que você esperou meses por um email ou telefonema importante e recebeu um “não”?

  • Use a tecnologia para as relações humanas

    Vivemos em um mundo dominado pela tecnologia. Você pode iniciar, crescer, financiar e vender seus negócios virtualmente sem conhecer nenhuma das partes, como seus clientes, investidores e adquirente. Isso é uma quebra em sua forma mais pura e tudo graças à tecnologia.

    Com esse grau de eficiência sem precedentes, a interação humana nos negócios não é mais um requisito. Hoje, é mais uma vantagem competitiva. A maneira mais fácil de diferenciar você e seus negócios dos demais é usar a tecnologia para facilitar a interação humana, não substituí-la.

Entenda o cliente

Na sua forma mais simples, os negócios se resumem à troca de valor. Quando você passa meses construindo um produto com base em hipóteses, corre o risco de criar uma solução que os clientes não desejam ou precisam. Nesse caso, forçar produtos indesejados na vida dos clientes não agrega valor ao que eles desejam realizar. É uma perda de tempo para eles e você. Mas ter uma conversa sobre as lutas deles e como você pode resolver esses problemas agrega valor. O melhor de tudo é que eles ajudarão você a criar um produto de que precisam e pagarão.

Esta primeira reunião produtiva é a sua oportunidade de construir um relacionamento pessoal com futuros compradores. Se você deseja vender sua ideia antecipadamente, criar estudos de caso ou receber leads de referência, esta é sua segunda oportunidade de fazer negócios da maneira certa: apenas saia do prédio para cumprimentar as pessoas e construir relacionamentos.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).