Por que negócios e família são a dupla perfeita

ReproduçãoForbes
ReproduçãoForbes

“Red Table Talk” é apresentado pela atriz Jada Pinkett Smith (dir), a filha Willow Smith (esq) e a mãe Adrienne Banfield-Norris (centro)

O “Red Table Talk” não é um programa de entrevistas comum. A cada episódio, as três apresentadoras da série original do Facebook Watch se reúnem em uma mesa circular vermelha escura e recebem um novo convidado para se juntar a elas em uma conversa franca. Mas, diferentemente dos programas de entrevistas tradicionais, não há audiência ao vivo, música de fundo e luzes brilhantes.

Isso ocorre porque o “cenário” do “Red Table Talk” é na verdade uma casa – a residência em Los Angeles de um dos casais mais famosos de Hollywood, Will Smith e Jada Pinkett Smith. É um cenário apropriado para o show, uma vez que é produzido pela empresa de mídia multiplataforma Westbrook Inc., do casal em parceria com o Facebook, e seus anfitriões são a própria Jada, sua filha Willow Smith e sua mãe, Adrienne Banfield-Norris. Quando ela sonhou com o conceito do “Red Table Talk”, Jada pretendia que fosse mais um hobby do que um negócio. “Uma maneira de criar conversas entre minha mãe e minha filha, porque, embora estejamos perto, não nos conhecemos completamente”, ela explica.

A dinâmica familiar do “Red Table Talk” atraiu cerca de sete milhões de seguidores desde que foi ao ar em maio de 2018. No ano passado, ganhou prêmios do NAACP Image Award e também recebeu uma indicação ao Emmy.

“O ‘Red Table Talk’ é formado por três mulheres de três gerações diferentes sentadas à mesa e conversando sobre questões ou preocupações com visões muito diferentes sobre o mundo”, diz Jada, que também é produtora executiva do programa. “É o poder da comunicação, e é por isso que se tornou tão importante”.

LEIA TAMBÉM: Como fazer amigos e influenciar pessoas com podcasts

O ímpeto do programa continuou em 2020. Neste mês, o Facebook Watch anunciou uma extensão de contrato de três anos para o “Red Table Talk”, ao mesmo tempo em que confirmou a produção de um spin-off com a cantora, compositora e empresária vencedora do Grammy Latino, Gloria Estefan, com sua filha e sua sobrinha.

“Estou empolgado em ver as Estefans apostando na franquia e explorando novos lugares”, diz Jada, que também será produtora executiva do programa.

Ela está confiante de que a abordagem íntima do “Red Table Talk”, a receita secreta que o diferencia de outros talk shows, continuará com o novo programa. Ambos têm o benefício de estar no Facebook Watch e não em um canal, o que ajuda no engajamento, já que a plataforma não tem os comerciais da televisão tradicional. E Jada diz que o Facebook Watch dá à equipe do “Red Table Talk” mais liberdade criativa.

“Podemos ter uma conversa bastante fluida, o que é realmente importante para criar o tipo de intimidade que desejamos, onde as pessoas estão compartilhando todo tipo de história”, observa ela.

As histórias compartilhadas no “Red Table Talk” tendem a ter reviravoltas emocionais, com tópicos que variam de fracassos e triunfos a relacionamentos, vícios e abuso doméstico. Alguns episódios apresentam celebridades conhecidas como Ellen Pompeo, Common e Demi Moore. Outros têm convidados que se encaixam em uma temática em alta, como Angela Tucker, uma mulher negra criada por pais brancos; e Lisa Van Allen, uma suposta vítima de agressão sexual do cantor R. Kelly.

Jada costuma colocar os problemas de sua família em destaque: durante um episódio, ela se juntou à ex-mulher do marido Will Smith, Sheree Elizabeth Zampino, para discutir como eles fazem a família mista funcionar. Em outro, a família Smith se mostra sincera sobre sua saúde, concorda em fazer exames e depois revela os resultados.

Enquanto raças, sexos e idades dos convidados do “Red Table Talk” são variados, jada diz que o foco são as mulheres negras. “Não acho que nós, mulheres negras, tenhamos muitos fóruns abertos em que nos sintamos seguras o suficiente para ficar vulneráveis”, disse, aludindo à teoria das “mulheres negras fortes” que sugere que elas não deveriam ser sinceras sobre suas lutas e emoções. “Faz parte do meu trabalho no ‘Red Table Talk’ estar bem e abraçar esse lado mais vulnerável de mim.”

Mais de 600 mil membros do grupo de discussão online do “Red Table Talk” no Facebook querem continuar as conversas honestas que começam na tela, e isso é parte do que mantém o programa agitado. Em novembro, a equipe criativa do programa fez uma parceria com Koreen Odiney, criadora do jogo “Nós não somos realmente estranhos”, para lançar um jogo de cartas interativo que permite aos espectadores replicar as conversas que ocorrem no programa com seus amigos e familiares.

VEJA MAIS: Marketing digital: 4 dicas para ter audiência online dedicada e engajada

“O ‘Red Table Talk’ realmente utilizou a interatividade do Facebook para envolver a comunidade em conversas, tendo contato direto com os fãs do grupo, conectando-se em tempo real com vídeos ao vivo e usando pesquisas para permitir que o público vote em seus programas favoritos para assistir”, diz Fidji Simo, chefe do aplicativo do Facebook: “Grande parte do valor do programa é na verdade a conversa que acontece depois que ele foi ao ar”.

O objetivo de longo prazo de Jada é tornar o “Red Table Talk” uma franquia global, onde famílias em todo o mundo discutam os tópicos que afetam suas respectivas culturas. O esforço parece um grande empreendimento para a ocupada Jada, que mantém sua carreira de atriz enquanto faz o “Red Table Talk”. Mas o programa não parece apenas mais um trabalho para ela. “Esse é o nosso foco e objetivo como família e, como estamos alinhados com essa meta, facilita as coisas”, diz ela. “Esse é o nosso negócio”.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).