Trigo dispara em Chicago e impulsiona milho com foco na Ucrânia

Compartilhe esta publicação:

 

Acessibilidade


Por Mark Weinraub

CHICAGO (Reuters) – Os contratos futuros de trigo dos EUA subiram 5,1% nesta segunda-feira, apoiados por preocupações com longas interrupções nos embarques da Ucrânia, à medida que os combates se intensificavam naquele importante país exportador de grãos.

A força do trigo se espalhou para o mercado de milho, que quebrou uma série de quatro sessões negativas consecutivas, enquanto a soja teve um leve avanço.

Na bolsa de Chicago, os futuros de trigo para julho subiram 53 centavos de dólar para fechar a 10,93 dólares por bushel. O milho para julho fechou em alta de 15,50 centavos de dólar a 7,4250 dólares por bushel.

A soja para julho fechou em alta de 1,50 centavo de dólar a 16,9925 dólares por bushel.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

As preocupações com os suprimentos da região do Mar Negro também aumentaram com a notícia de que a Rússia havia atacado a capital da Ucrânia, Kiev, pela primeira vez em mais de um mês.

“O ataque minou a credibilidade das alegações da Rússia de que não tinha intenção de bloquear o fluxo de commodities alimentares para fora dos portos da Ucrânia”, disse Arlan Suderman, economista-chefe de commodities da corretora StoneX, em nota aos clientes.

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskiy, disse na segunda-feira que pode haver até 75 milhões de toneladas de grãos estocados na Ucrânia até este outono no hemisfério norte, e que Kiev quer armas que possam garantir a passagem segura de suas exportações.

Zelenskiy também disse que a Ucrânia não está pronta para concordar com um plano para exportar seus grãos por ferrovia através da Belarus para embarque pelo Mar Báltico.

“Ainda não estamos prontos para seguir esse formato e ajudar nossos vizinhos ‘amigáveis'”, disse Zelenskiy à Interfax Ucrânia.

Compartilhe esta publicação: