Performance da Tesla garante US$ 2,9 bilhões a Elon Musk

Patrick Pleul/Getty Images
Patrick Pleul/Getty Images

Musk é a quinta pessoa mais rica do mundo, com um patrimônio de US$ 91,9 bilhões, segundo estimativas da Forbes

A Tesla relatou seu quinto lucro trimestral consecutivo na semana passada, apesar da pandemia do novo coronavírus e da atual crise econômica. Graças ao resultado, Elon Musk, CEO da companhia, agora está qualificado para receber a quarta tranche de ações de seu imenso pacote de benefícios de US$ 55 bilhões.

A montadora de carros elétricos já cumpriu o primeiro requisito para a quarta parcela – uma capitalização de mercado média de US$ 250 bilhões em seis meses. A Tesla tinha, na tarde de ontem (26), avaliação de US$ 385 bilhões. A companhia também excedeu outro requisito para o pacote de pagamento de Musk, com o EBITDA cumulativo (lucro antes de juros, depreciação e amortização de impostos) de US$ 4,5 bilhões ao longo de quatro trimestres consecutivos. Para o trimestre finalizado em 30 de setembro, o EBITDA da Tesla foi de US$ 1,8 bilhão, e nos últimos quatro trimestres o acumulado chegou a US$ 5 bilhões.

LEIA MAIS: Vitória de Trump sem tumultos é o melhor resultado para mercado de ações, diz JPMorgan

Musk terá a opção de comprar 8,44 milhões de ações da Tesla, ao preço de US$ 70 por papel, assim que os resultados forem certificados pelo conselho, segundo afirmou o documento da companhia. O executivo é obrigado a deter as ações por um período de cinco anos.

O CEO já é a quinta pessoa mais rica do mundo, com um patrimônio de US$ 91,9 bilhões segundo estimativas da Forbes. Seu patrimônio líquido quase quadruplicou desde meados de março, quando ele apareceu no 31º lugar na lista dos bilionários do mundo, ultrapassando a marca de US$ 24,6 bilhões. Musk possui 21% da Tesla, mas comprometeu mais da metade de sua participação em garantias para empréstimos pessoais. Sua participação na empresa de foguetes ​​SpaceX representa menos de um quarto de sua fortuna.

Musk já havia desbloqueado três tranches, o que significa que a montadora pagou US$ 571 milhões para o executivo nos nove meses encerrados em 30 de setembro – mais que o dobro do mesmo período do ano passado.

Para se qualificar para seu próximo grande pagamento – a quinta das 12 parcelas do acordo com a Tesla –, Musk deve levar a empresa a US$ 6 bilhões de EBITDA anual ou US$ 55 bilhões em receita no período, além de sustentar seis capitalizações de mercado com média mensal de US$ 300 bilhões. Em 2019, a receita da montadora foi de US$ 24,6 bilhões. A Tesla precisaria ainda exceder o EBITDA de US$ 2 bilhões para o trimestre até dezembro, 13% maior do que atingiu no trimestre até setembro.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).