3 sinais de que você deve se demitir depois do primeiro dia de trabalho

Getty Images /Hero Images
Se preocupar com a primeira impressão é essencial para uma empresa manter os novos funcionários

Resumo:

 

  • A forma como se dá a integração no primeiro dia de trabalho é essencial para manter os funcionários e garantir que eles tenham um bom desempenho;
  • Segundo pesquisas, um programa estruturado de integração pode aumentar em 58% a probabilidade de novos profissionais estarem na organização após três anos, e melhorar sua produtividade em 50%;
  • A desvalorização dos funcionários, a negligência com relação à missão e a saúde da equipe, e a falta de reconhecimento por parte da liderança de que o talento é a variável mais importante para o sucesso são alguns sinais para deixar o emprego. 

Eu estava tão animado para o meu primeiro dia. Meu novo emprego era em uma empresa de comunicação em rápido crescimento e o CEO havia me cortejado por quase seis meses. Eu estava totalmente envolvido neste início, ansioso para fazer novos amigos e causar um impacto.

Quando cheguei pela manhã, apresentei-me à recepcionista e perguntei por meu novo chefe, Ned.

“Com quem você está?”, ela perguntou.

“Ora, eu trabalho aqui”, sorri. “É o meu primeiro dia.”

“Sente-se”, ela franziu a testa. Do sofá do saguão, eu vi quando sussurrou no telefone. Algo estava… errado.

Eu esperei cerca de vinte minutos, então o chefe de RH apareceu. “Olá, Kevin, Ned não se encontra hoje, ele está na Europa em uma conferência. Então eu vou te orientar. ”

Não está? Hum, bem, não é tão sério.

“Siga-me”, ele disse. “As coisas estão muito loucas ultimamente, por isso, ainda não temos espaço para você, espero que não se importe de ficar sentado na sala de conferências por alguns dias.”

E piorou a partir daí.

As primeiras impressões contam

Dizem que você nunca tem uma segunda chance de causar uma ótima primeira impressão, e isso também ocorre com a integração em uma empresa. Conforme relatado pela Society of Human Resource Management (associação profissional norte-americana de membros de recursos humanos), os novos funcionários que passam por um programa estruturado de integração apresentam uma probabilidade 58% maior de estar na organização após três anos, e as empresas que aplicam este procedimento obtém uma produtividade de novos profissionais 50% melhor.

VEJA MAIS: 3 sinais para saber se seu trabalho é tóxico

Sua experiência no primeiro dia é uma prévia de como será o dia a dia. É uma rápida fotografia que mostra a cultura da empresa. A equipe é organizada ou está sem orientação? Os profissionais são amigáveis ​​e interessados em você ou estão focados em suas tarefas e apenas preocupados em cumprir o próximo prazo? São sociais ou solitários? Têm as ferramentas necessárias para serem bem-sucedidos?

Como uma empresa trata os novos funcionários no primeiro dia, em última análise, dá pistas sobre se ela valoriza o talento. Você é valorizado ou não? Procure os sinais que indicam o ingresso na empresa errada.

  • 1. Seu gerente não convive com você

    Se você aparecer no seu primeiro dia de trabalho e seu chefe não estiver lá, estiver muito ocupado para encontrá-lo ou apertar sua mão e rapidamente encaminhá-lo ao RH, talvez seja necessário sair depois do primeiro dia.

    A pesquisa da Gallup mostra que 70% da variação no engajamento dos funcionários está atrelada ao supervisor. Nada importa mais do que como os funcionários se sentem em relação ao trabalho, e os grandes líderes sabem que o recurso mais relevante é o talento. Coloque as pessoas certas nos assentos certos no ônibus, parafraseando Jim Collins.

    Os chefes preparados sabem que devem estar presentes na data de início do funcionário na empresa. Não é necessário passar o expediente inteiro juntos, na realidade, isto é contraproducente, mas agendar um horário para recebê-lo, ter uma importante “primeira conversa” e checar como foi a experiência no final do dia são atitudes essenciais.

  • 2. Seu espaço de trabalho não está devidamente organizado (e seu endereço de email ainda não existe)

    Se você aparecer no seu primeiro dia de trabalho e não houver um lugar para se acomodar, talvez seja necessário sair depois do primeiro dia.

    Hoje em dia, o ambiente profissional pode ser de diferentes formas, como escritório ou sistema de hot desking (mesas compartilhadas). Independentemente da estrutura, é péssimo sinal se seu novo empregador não priorizar onde você se sentará. Sim, não é fácil. Existem muitas desculpas: um funcionário existente pode precisar ser movido, a empresa está sob reorganização ou esperando a ativação do setor de TI. A interpretação é que você não é a prioridade.

    Grandes companhias não apenas têm um espaço de trabalho pronto, mas também o tornam um local especial. Exemplos incluem:

    -O site FanDuel oferece aos novos funcionários moletons da companhia, notebooks e material de escritório.

    -A Zumper (plataforma de aluguel de propriedades) distribui uma mochila cheia de roupas, cadernos, adesivos da marca entre outros.

    -A consultoria de marketing Clear, recebe novos funcionários com flores, cadernos e chá

    -A Salesforce mescla presentes como armas nerf e livros de negócios, além de camisetas obrigatórias.

    As empresas não precisam gastar muito dinheiro em kits de boas-vindas para mostrar o quanto elas apreciam você. Na verdade, ações que levam tempo e consideração podem ter um impacto maior, como:

    -Um cartão de boas-vindas assinado por todos os novos membros da equipe.

    -Uma nota de boas-vindas com seu nome no saguão e / ou na sua mesa.

    -Uma pilha de menus de restaurantes locais para ajudá-lo a conhecer os estabelecimentos do bairro.

    -Uma caixa de doces na sua mesa – dessa maneira você saberá que conhecerá todos da equipe.

    -Uma cópia do livro favorito dos CEOs

  • 3. Eles falam sobre políticas, mas não sobre missão, visão e valores

    Se você aparecer no primeiro dia de trabalho e todo o seu tempo for gasto na documentação de RH, código de vestimenta, horários e regras, talvez seja necessário sair depois do primeiro dia.

    Sim, a papelada para novos contratados precisa ser concluída, mas, idealmente, a maior parte já deve estar pronta antes do primeiro dia de trabalho ou no final do expediente.

    É possível saber com o que alguém se importa ao analisar como essa pessoa passa seu tempo. Se a empresa estiver focando em regras, regulamentos e procedimentos no primeiro dia, você poderá esperar a repetição deste tratamento durante todo o seu tempo lá. Se a companhia valoriza a própria visão, ela a esclarece. Se a missão é relevante, será encontrada uma maneira de incentivá-lo a se envolver desde o início. Se há preocupação com os valores, a equipe criará maneiras divertidas de o ajudar a lembrá-los e se relacionar com eles.

1. Seu gerente não convive com você

Se você aparecer no seu primeiro dia de trabalho e seu chefe não estiver lá, estiver muito ocupado para encontrá-lo ou apertar sua mão e rapidamente encaminhá-lo ao RH, talvez seja necessário sair depois do primeiro dia.

A pesquisa da Gallup mostra que 70% da variação no engajamento dos funcionários está atrelada ao supervisor. Nada importa mais do que como os funcionários se sentem em relação ao trabalho, e os grandes líderes sabem que o recurso mais relevante é o talento. Coloque as pessoas certas nos assentos certos no ônibus, parafraseando Jim Collins.

Os chefes preparados sabem que devem estar presentes na data de início do funcionário na empresa. Não é necessário passar o expediente inteiro juntos, na realidade, isto é contraproducente, mas agendar um horário para recebê-lo, ter uma importante “primeira conversa” e checar como foi a experiência no final do dia são atitudes essenciais.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).