Funcionários da Toyota aprovam plano de demissão voluntária

A empresa anunciou em abril que fecharia a fábrica em São Bernardo do Campo

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Toby Melville/Reuters
Toby Melville/Reuters

A Toyota vai fechar fábrica e fechou um acordo com os funcionários

Acessibilidade


Trabalhadores na Toyota em São Bernardo do Campo, na região metropolitana de São Paulo, aprovaram um plano de demissão voluntária, após decisão da empresa em abril de fechar a fábrica, informou o sindicato dos metalúrgicos do ABC hoje (3).

“Para os trabalhadores que decidirem pela saída da empresa, o PDV tem como base 35 salários fixos com o acréscimo de mais um salário por ano trabalhado, 12 meses de assistência médica e disponibilização de cursos profissionalizantes”, informou o sindicato dos metalúrgicos.

Já os trabalhares que optarem pela transferência para outra unidade vão receber dois salários nominais, além de 2,4 salários nominais no caso de mudança de endereço, bônus de transferência de R$ 15 mil e estabilidade até novembro de 2026.

O acordo prevê ainda o pagamento de um bônus de permanência a todos os trabalhadores que seguirem na fábrica até novembro de 2023, prazo limite para o encerramento das atividades.

“Infelizmente a fábrica vai fechar, mas conseguimos um acordo que dá tranquilidade para os trabalhadores transferidos e que garante uma condição melhor para os que optarem por sair da fábrica”, disse o diretor sindicato Wellington Damasceno.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A fábrica da Toyota em São Bernardo do Campo foi a primeira unidade produtiva da montadora fora do Japão e foi aberta em 1962. A unidade, que emprega cerca de 550 funcionários, produzia componentes que abasteciam a fábrica de motores da marca em Porto Feliz (SP).

Compartilhe esta publicação: