Quais os países onde a obesidade custa mais caro

Getty Images

Hoje é celebrado o Dia Mundial da Obesidade, campanha anual criada em 2015 com o objetivo de estimular e apoiar ações práticas que ajudem as pessoas a alcançar e manter um peso saudável. Um recente relatório alertou para a necessidade de agir rapidamente: o documento prevê que, na próxima década, o número de crianças obesas em todo o mundo chegará a 350 milhões.

Um outro levantamento, feito pela OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico), revela o quanto os países vão gastar com o excesso de peso de suas populações nas próximas três décadas.

Isso porque as pessoas obesas tendem a usar os serviços de saúde com mais frequência: consomem mais consultas, internações e procedimentos cirúrgicos. Segunda a entidade, elas têm 2,4 vezes mais prescrições do que indivíduos com peso saudável, sofrem internações mais longas e requerem tratamentos mais caros e complexos. O excesso de peso é responsável, por exemplo, por 70% de todos os custos de tratamento para diabetes, 23% dos valores gastos em tratamentos para doenças cardiovasculares e 9% para cânceres. Em média, os cuidados com as enfermidades causadas pela obesidade custam 8,4% do total dos gastos com saúde nos países que fazem parte da organização.

Arte Forbes

Harley Davidson tem novo líder na América Latina

A Harley-Davidson do Brasil anunciou Waldyr Roma de Almeida Ferreira como o novo managing director para toda a América Latina. O carioca de 43 anos assumirá, a partir deste mês, a principal posição de comando da marca na região. Entre suas novas atribuições, estão também o comando dos escritórios de São Paulo e de Monterrey, no México. Antonio Cantero, no posto até então, passará a ocupar o cargo de diretor de vendas de toda a região sudeste dos Estados Unidos, com base em Miami.

Homens compram mais do que as mulheres no Instagram
Mais de um terço dos usuários norte-americanos do Instagram já compra direto pelos anúncios na rede social. Essa é a constatação de um levantamento feito pela VidMob, plataforma de inteligência criativa que acabou de desembarcar no Brasil. Segundo o estudo, a probabilidade de os homens comprarem pelo Instagram é 10% mais alta do que no caso das mulheres. No entanto, elas são mais propensas do que eles a comprar de marcas que não conhecem: 81% x 75%.

Os produtos mais adquiridos – tanto por homens quanto por mulheres – são roupas, sapatos e acessórios, preferidos por cerca de 60% de mulheres e mais de 50% dos homens. Eles compram três vezes mais computadores e produtos tecnológicos do que elas, que, por sua vez, adquirem três vezes mais produtos de beleza do que eles. Outras categorias populares são viagens, alimentos e ingressos de cinema. “À medida que cresce a popularidade dos shoppable ads (anúncios que oferecem venda direta de produtos) e a funcionalidade checkout, o Instagram se transforma cada vez mais em um centro de compras”, afirma Stephanie Bohn, CMO da VidMob.

Em busca da felicidade

Curitiba vai sediar um evento um tanto quanto inusitado: o Congresso Internacional de Felicidade da América Latina, que será realizado entre os dias 2 e 3 de novembro, na Expo Barigui. A quarta edição da iniciativa do advogado Gustavo Arns, especialista em psicologia positiva, contará com palestras de mais de 20 personalidades, entre elas, Monja Coen, o filósofo Luiz Felipe Pondé, a jornalista Fernanda Gentil e a antropóloga norte-americana Susan Andrews. No ano passado, mais de 2 mil pessoas passaram pelo Parque Barigui no que se propõe a ser uma jornada de autoconhecimento e transformação por meio de quatro diferentes aspectos: filosófico, científico, espiritual e artístico.

 

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Os artigos assinados são de responsabilidade exclusiva dos autores e não refletem, necessariamente, a opinião de Forbes Brasil e de seus editores.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).