Que tal ir ao shopping comprar investimentos

Getty Images

Convido você a conhecer plataformas de investimentos independentes, que podem financiar suas escolhas de agora em diante

Tomar uma decisão não é tarefa fácil, imagine quando o desafio é escolher onde ficará nosso dinheiro pelos próximos meses ou anos. Mesmo os mais entendidos agem com bastante cautela quando a grande questão é: o que fazer com os recursos para que eles gerem conforto e segurança?

Estudos comprovam que inteligência e fortuna não têm relação direta nem uma ifluencia a outra. Fica na frente quem detém de um ativo fundamental: informação.

Fomos ensinadas que lugar de dinheiro é no banco, em bancos famosos, de preferência, pois nem pensar correr o risco de perder: “Deus me livre”!

Não é bem assim.

Ocorre que guardar dinheiro é completamente diferente de investir. Construir um patrimônio para ter liberdade de escolha e enfrentar momentos difíceis é seu desafio. Por isso, convido você a conhecer o shopping que financiará suas escolhas de agora em diante: plataformas de investimentos independentes (corretoras). Eu gosto de chamar de shopping de investimentos. Uma vez lá, nosso dinheiro passa valer mais.

E por que comprar produtos financeiros via plataformas?

Imagine dois tipos de comércio: o primeiro, uma grande loja com produtos de uma única marca para oferecer a você: seriam os bancos. Já o segundo, com ampla variedade de produtos, uma espécie de “Macy’s” do mercado financeiro, são as plataformas de investimentos, que, graças à tecnologia, são digitais.

Sim, ambos têm a mesma segurança, pois são cuidados pela mesma mãe, o Sistema Financeiro Nacional. O que os diferencia é apenas a instituição reguladora. Aos bancos cabem se reportar ao Bacen (Banco Central). Já as corretoras ficam a cargo da CVM (Comissão de Valores Mobiliários), que tem essa função regulatória.

É fundamental evitar desperdícios com elevadas taxas de administração e produtos ruins dentro de uma carteira de investimentos. Bancos vendem segurança e tradição, e seus produtos têm a mesma garantia das corretoras, só que remuneram bem menos seus investimentos.

Já ouviu falar em FGC (Fundo Garantidor de Crédito)?

É uma espécie de seguro para renda fixa que garante, em caso de falência de uma instituição, pagamento de até R$ 250.000 por CPF em até 4 instituições diferentes com o limite de até R$ 1.000.000 de proteção por pessoa.

Bem, se o fator segurança está superado, bate à porta, agora, o medo. É natural evitar o desconhecido. Mas saiba que a zona de conforto é o lugar mais arriscado para permanecer, sobretudo, quando o assunto é independência financeira. No meu canal do YouTube, MaryPoupe, faço questão de descomplicar todos os termos e auxiliar na escolha dos produtos para você tornar o caminho mais fácil.

Embora desafiadora, sua meta nesta semana é eleger uma plataforma de investimentos e colocar o primeiro produto financeiro em seu carrinho de compras. Comece com Títulos Públicos ao menos até se sentir confiante. No caso, Tesouro Selic. Mas só para começar mesmo.

No mais, apresse na construção de sua liberdade financeira e crie intimidade com seu dinheiro para que sua existência seja larga e confortável.

 

Francine Mendes é educadora financeira para mulheres, economista pela Universidade Federal de Santa Catarina, com mestrado em psicanálise do consumo pela Universidade Kennedy. Apresentadora do canal Mary Poupe, no YouTube, e comunicadora na RiCTV Record.

 

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Os artigos assinados são de responsabilidade exclusiva dos autores e não refletem, necessariamente, a opinião de Forbes Brasil e de seus editores.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).