Novartis vai testar eficácia de droga contra malária em tratamento de Covid-19

Hidroxicloroquina será ministrada em mais de 400 pacientes norte-americanos nas próximas semanas.

Redação
Compartilhe esta publicação:
Reproducao-Forbes
Reproducao-Forbes

O medicamento já foi citado como um possível tratamento por Trump e Bolsonaro

Acessibilidade


A farmacêutica suíça Novartis afirmou hoje (20) que vai testar a droga hidroxicloroquina, usada para tratar malária, em uma pesquisa para ver se o medicamento é realmente eficiente contra a Covid-19.

A companhia espera ter dados sobre a eficácia da droga até junho, afirmou um dos líderes da pesquisa à Reuters.

LEIA MAIS: Anvisa passa a controlar exportação de cloroquina e hidroxicloroquina

O medicamento é conhecido há décadas no tratamento de malária e foi citado pelos presidentes dos Estados Unidos, Donald Trump, e do Brasil, Jair Bolsonaro, como sendo eficiente contra o novo coronavírus. Ainda não há prova científica de que a hidroxicloroquina é eficaz no tratamento de pacientes com Covid-19.

Atualmente não há medicamentos ou vacinas aprovados especificamente para a doença.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

“Estamos num mar de histórias e muitas pessoas não profissionais e mal informadas estão fazendo recomendações que estão influenciando a maneira como o público e os pacientes veem isso [hidroxicloroquina]”, disse o doutor Richard Chaisson, professor da Universidade Johns Hopkins que lidera a pesquisa.

A Novartis afirmou que recebeu aprovação da agência de drogas e alimentos dos EUA (FDA) para a pesquisa e que espera começar a recrutar 440 pacientes nas próximas semanas em mais de uma dúzia de locais dos EUA. Os resultados serão divulgados assim que possível, acrescentou a companhia.

Alguns afirmam que a defesa da hidroxicloroquina minimizou efeitos colaterais potencialmente perigosos da droga, como perda de visão e problemas cardíacos.

(Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias

Compartilhe esta publicação: