“Receita para o desastre”: Bill Gates pede isolamento estrito para combater coronavírus nos EUA

Reprodução/Forbes
Bill Gates pediu uma paralisações em todo o país norte-americano em um artigo publicado no “Washington Post” hoje (1)

O bilionário fundador da Microsoft, Bill Gates, aumentou seus pedidos por ações mais duras dos EUA para derrotar a Covid-19. Em artigo publicado no “Washington Post” hoje (1), ele pediu um lockdown nacional “consistente”. Os casos confirmados do coronavírus no país já estão perto de 200 mil.

A segunda pessoa mais rica do mundo tem sido muito crítica à resposta inicial das autoridades americanas a Covid-19. No editorial intitulado “Here’s how to make up for lost time on Covid-19” ou “Como recuperar o tempo perdido na luta contra a Covid-19″, em português, ele mais uma vez pede isolamento massivo.

VEJA MAIS: “Na melhor das hipóteses, teremos 6 a 10 semanas de isolamento total nos EUA”, diz Bill Gates

O filantropo sugeriu três etapas para combater o vírus nos EUA: uma paralisação em todo o país, um aumento nos testes com profissionais de saúde na linha de frente e uma “abordagem baseada em dados para o desenvolvimento de tratamentos e uma vacina”.

Gates, de 64 anos, escreveu: “Apesar da insistência de especialistas em saúde pública, alguns estados e municípios não se isolaram completamente. Em alguns estados, as praias ainda estão abertas; em outros, os restaurantes ainda servem refeições”.

Ele acrescentou: “Esta é uma receita para o desastre. Assim como as pessoas podem viajar livremente através das fronteiras estaduais, o vírus também pode. Os líderes do país precisam ser claros: isolamento em qualquer lugar significa isolamento em todos os lugares”.

Ele também descreveu uma vacina como sendo “metade da batalha”, e que as instalações para fabricar os “bilhões” de doses necessárias para proteger a população mundial precisam ser construídas. Ele elogiou o governo que assinou acordos recentes com pelo menos duas empresas, incluindo o braço farmacêutico da Johnson & Johnson.

Gates havia alertado anteriormente, durante uma entrevista virtual do TED, que os EUA poderiam ter até dez semanas de isolamento “no melhor cenário”, a fim de minimizar mortes e danos econômicos.

“Até que os números de casos comecem a cair nos Estados Unidos –o que pode levar 10 semanas ou mais– ninguém pode continuar com os negócios como de costume ou relaxar a paralisação”, disse Gates no editorial. “Como vimos neste ano, ainda temos um longo caminho a percorrer. Mas ainda acredito que, se tomarmos as decisões certas agora, baseadas em ciência, dados e experiência dos profissionais médicos, podemos salvar vidas e levar o país de volta ao trabalho”, concluiu.

O governo dos EUA luta agora para conter a disseminação rápida do novo coronavírus. O número de mortes já supera as da China. Em números da manhã de hoje (1), o país conta 189 mil casos confirmados e mais de 4.000 mortes.

As respostas para conter a disseminação da Covid-19 nos EUA variam de estado para estado. Nova York, por exemplo, tem isolamento mais severo, enquanto o Arkansas demorou mais em tomar medidas de contenção.

Bill Gates é a segunda pessoa mais rica do mundo. A Forbes estima seu patrimônio em US$ 101 bilhões. Ao lado da esposa Melinda, ele preside a Fundação Bill & Melinda Gates, a maior fundação de caridade privada do mundo.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).