“Trabalhar com produção e audiovisual me parecia inalcançável”, afirma KondZilla

Site Kondzilla / Léo Caldas
Site Kondzilla / Léo Caldas

Konrad Dantas, o KondZilla, sempre buscou fortalecer sua marca durante a carreira, e hoje possui o maior canal de música do Youtube na América Latina

O produtor musical e de conteúdo Konrad Cunha Dantas, mais conhecido como Kondzilla, possui uma história rica em superação, criatividade e visão de tendências para a cultura pop. Ele falou sobre todos esses assunto em uma conversa ao vivo com Antonio Camarotti, CEO e publisher da Forbes, em uma live no canal da revista no Instagram.

Nascido na comunidade Santo Antônio, que fica na cidade do Guarujá (litoral de São Paulo), Konrad, que fez parte da lista Forbes Under 30 em 2017, relembrou da juventude humilde e contou que encontrou na música uma forma de dar uma vida melhor para sua família. Mesmo sabendo qual caminho queria seguir, o produtor diz que demorou a encontrar as maneiras de chegar aonde está hoje: seu canal no YouTube tem mais de 59 milhões de seguidores, sendo o maior da América Latina e sexto no mundo.

Leia mais: Forbes promove primeiro webinar sobre Saúde Mental nas empresas. Participe

Kondzilla usou o seguro de vida deixado por sua mãe (falecida em junho de 2008) para investir em sua carreira de audiovisual, um ramo que lhe parecia inalcançável. “Quando comecei a trabalhar finalizando filmes publicitários, vi que tinha alcançado um dos meus sonhos, mas não estava feliz. Fazer aquilo não me dava prazer”, afirma.

Para buscar novas oportunidades, ele optou por focar em fotografia, um tópico que não despertou seu interesse no primeiro curso de audiovisual que teve. Seu foco em aprender mais sobre o tema era tanto que ele chegou a repetir o mesmo curso para tirar novas dúvidas, sempre em busca de se aprimorar como um profissional.

O trabalho de “Kond” com videoclipes começou como o de produção e pós-produção, áreas nas quais já possuía conhecimento prévio de outros trabalhos. Mas, com o passar do tempo, ele notou que o YouTube se mostrava uma ferramenta de negócios promissora, mas apenas para quem veiculava vídeos em seu próprio canal. Foi assim que o Canal KondZilla nasceu, da percepção empreendedora de Konrad de trazer para si a parte mais lucrativa da produção de videoclipes.

Mesmo sem alimentar seu canal com frequência durante o primeiro ano (ainda em meados de 2012), a base de seguidores já se mostrava sólida. Ele explica: “A minha ideia era imprimir o nome Kondzilla na maior quantidade possível de lugares, sabia que um dia isso me faria ganhar muito dinheiro”.

O tamanho de seu alcance faz de Konrad um dos principais propagadores do funk no mundo, e ele se diz honrado de estar nessa posição. “É uma responsabilidade e uma alegria saber que faço parte dessa engrenagem”. Para ele, a entrada de São Paulo nesse circuito musical trouxe profissionais de outras áreas com expertise para acrescentar ao gênero.

Leia também: eBay tem vendas acima do esperado no trimestre

Além disso, o produtor de sucesso enxerga que a liberdade e empoderamento dos consumidores de conteúdo, através da internet, possibilitou a explosão de popularidade do funk. “Hoje são as pessoas que julgam se gostam ou não de algo. Não são mais reféns de uma programação de rádio ou TV”, explica.

Buscando entender o estilo de vida de jovens da favela, Konrad falou também sobre seu portal de conteúdo, o Portal Kondzilla. Para ele, “o funk é parte de um comportamento” de um determinado público. Sendo assim, buscou entregar mais conteúdo para essas pessoas, de assuntos como beleza, diversidade, moda, educação financeira e muitas outras.

“Existem muitas histórias por aí que são mais importantes do que a minha, e queremos promover o aumento do alcance e impacto delas, deixando que as pessoas falem por si mesmas”, explicou.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Participe do canal Forbes Saúde Mental, no Telegram, e tire suas dúvidas.

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).