Multiplan tem salto de 93% no lucro líquido do 1º trimestre

A Multiplan teve lucro líquido de R$ 177,75 milhões nos três primeiros meses do ano

A Multiplan viu seu lucro líquido de primeiro trimestre quase dobrar sobre o mesmo período do ano passado, impulsionado por forte desempenho de vendas até meados de março, quando medidas de quarentena adotadas por várias cidades fecharam seus empreendimentos.

O desempenho também foi ajudado por um ganho não recorrente gerado por uma aquisição, além de redução de custos com juros e outras despesas.

LEIA MAIS: Multiplan tem lucro de R$ 142 milhões no 4º tri

A companhia que administra 18 shopping centers de alto padrão no país teve lucro líquido de R$ 177,75 milhões nos três primeiros meses do ano, crescimento de 93% no comparativo anual.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) disparou 49%, para R$ 343,7 milhões.

Analistas, em média, esperavam que a Multiplan registrasse lucro líquido de R$ 70,9 milhões e Ebitda de R$ 183,9 milhões, segundo dados da Refinitiv.

A Multiplan afirmou que teve um ganho não recorrente de R$ 48,3 milhões no trimestre, líquido de impostos, decorrente da conclusão da aquisição remanescente de 50% da empresa controladora do ShoppingSantaÚrsula, no interior de São Paulo.

“Incluindo a primeira metade de março na análise do primeiro bimestre, as vendas dos lojistas aumentaram 7,3% comparadas ao mesmo período do ano anterior, destacando o forte desempenho dos shoppings até a suspensão das operações”, afirmou a Multiplan no balanço.

Apesar dos efeitos da pandemia, a receita líquida da Multiplan no primeiro trimestre subiu cerca de 6%, para R$ 326 milhões, apoiada também em mudanças na forma de pagamentos de aluguel dos lojistas que fizeram a linha “apropriação de receita de aluguel linear” disparar quase cinco vezes, para R$ 44,3 milhões.

VEJA TAMBÉM: Multiplan e brMalls ampliam investimento na Delivery Center

No fechado do primeiro trimestre, as vendas dos lojistas da Multiplan caíram 10,2%, para R$ 3,1 bilhões. A empresa afirmou que minimizou parte da queda com ampliação de serviços online por meio de integração de seu aplicativo de compras com gestão de centros de entrega de produtos comprados nos empreendimentos.

“Pedidos de produtos não relacionados à alimentação tiveram aumento de 20 vezes”, afirmou a empresa, se referindo à primeira metade de abril ante o mesmo período de março. Incluindo alimentação, os pedidos subiram 66,4%, disse a Multiplan no balanço.

A companhia afirmou que o indicador de vendas mesmas lojas subiu 5,5% no primeiro bimestre sobre um ano antes, mas incluindo março na conta o índice caiu 11,8%.

A taxa de ocupação dos empreendimentos da companhia foi de 97,9% primeiro trimestre ante 97,1% no mesmo período de 2019, mas caiu 7 pontos básicos sobre o quarto trimestre do ano passado.

MUDANÇA NO ALUGUEL

A Multiplan afirmou que todos os lojistas que estavam em dia com aluguel receberam desconto de 50% no valor de março e que reduziu outras tarifas. Para o aluguel de abril, a ser pago em maio, a empresa disse que vai abonar o valor em 100% daqueles que não puderam operar e que estejam em dia com os pagamentos.

Segundo a companhia, as reduções de taxas cobradas dos locatários em 2020 até este mês somam R$ 300 milhões. “Nos próximos meses, a companhia continuará avaliando o cenário e trabalhando caso a caso com seus lojistas.”

E TAMBÉM: Lucro da Multiplan cresce 4,4% no 3º trimestre

Na frente financeira, a Multiplan afirmou que suspendeu temporariamente todos os investimentos em projetos em estágio inicial, incluindo expansões, e adiou para 2021 a inauguração do único shopping em construção da empresa, ParkJacarepaguá, no Rio de Janeiro.

“A companhia estima que as reduções e diferimentos de investimentos em 2020, em comparação com seu plano anterior, reduzirão o investimento até o fim do ano para um intervalo de R$ 150 milhões a R$ 250 milhões”, afirmou a Multiplan.

A empresa terminou o primeiro trimestre com um nível de alavancagem de 2,55 vezes ante 2,39 vezes no fim de dezembro e 1,95 vezes no final de março de 2019. A posição de caixa sobre o fim do ano passado subiu 25,8%, para R$ 1,15 bilhão. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).