Dólar segue exterior e cai ante real com otimismo sobre potenciais vacinas

ReutersConnect/Ricardo Moraes
ReutersConnect/Ricardo Moraes

A moeda brasileira esteve entre as de melhor desempenho global nesta sessão

O dólar começou a semana em queda ante o real, firmando baixa na parte da tarde conforme os mercados globais se animaram com notícias promissoras sobre potenciais vacinas contra a Covid-19.

A moeda brasileira esteve entre as de melhor desempenho global nesta sessão, mantendo padrão de amplas oscilações diante do que analistas classificam como efeito colateral de menores volumes de negócios.

LEIA MAIS: Embraer vê forte queda nas entregas do 2º tri ante mesmo período de 2019

O dólar à vista caiu 0,75%, a R$ 5,3419 na venda.

Na B3, o dólar futuro tinha baixa de 0,73%, a R$ 5,3485, às 17h19.

Testes de possíveis vacinas têm se mostrado promissores. Mais recentemente, vacinas de AstraZeneca, CanSino Biologics Inc e de uma parceria entre Pfizer Inc e a empresa alemã de biotecnologia BioNTech foram administrados com segurança e induziram respostas no sistema imunológico de pacientes.

O índice do dólar frente a uma cesta de moedas cedia 0,1% no fim da tarde.

A queda do dólar ante o real nesta sessão manteve a taxa de câmbio “presa” a uma faixa cada vez mais estreita no fechamento – na qual está desde meados de junho – e que contrasta com as amplas variações percentuais intradiárias das últimas semanas.

Hoje (20), a moeda oscilou entre alta de 0,18%, a R$ 5,3923, e baixa de 0,99%, para R$ 5,329.

Alguns profissionais de mercado dizem que o fato de o dólar terminar as sessões regulares próximo a patamares recentes depois de grandes variações no intradia indica que o mercado pode estar sendo conduzido por operações de “day trade” – quando há abertura e fechamento de contratos na mesma sessão.

“Além disso, o volume de contratos em cada uma das pontas [compra e venda] está menor do que nos últimos meses, o que dá a operações pontuais mais peso na formação do preço do câmbio”, disse Felipe Pellegrini, gerente de tesouraria do Travelex Bank.

LEIA TAMBÉM: Economistas veem contração de menos de 6% da economia este ano no Focus

De toda forma, Pellegrini acredita que o mercado tem potencial de entrar em rota mais positiva em meio a sinais de andamento de reformas.

Com a expectativa de divulgar amanhã (21) sua proposta para unificar PIS e Cofins, a equipe econômica quer apresentar em 15 dias o conjunto restante da reforma tributária, que envolverá para pessoas físicas a diminuição das deduções possíveis no Imposto de Renda, mas também das alíquotas de tributação, disse Guilherme Afif, secretário especial do Ministério da Economia.

“É um assunto novo e interno [reforma tributária]. Pode mexer bem no dólar”, concluiu Pellegrini. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Participe do canal Forbes Saúde Mental, no Telegram, e tire suas dúvidas.

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).