Nortis amplia fila das construtoras no caminho do IPO

GettyImages/ NurPhoto
GettyImages/ NurPhoto

A aposta da Nortis é que a taxa de juros na mínima histórica mantenha o boom do crédito imobiliário

A incorporadora e construtora paulista Nortis pediu aval para oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês), ampliando a onda do setor em busca de recursos no mercado de ações, numa aposta de que a taxa de juros na mínima história no país manterá o boom do crédito imobiliário.

A operação da Nortis envolve ofertas primária – papéis novos, cujos recursos vão para o caixa da companhia – e secundária, ações detidas pelos sócios Carlos Eduardo Terepins, Fabio Terepins e Daniel Terepins. A Nortis foi criada em 2016 por Carlos e seu filho, Fabio, um ano depois de deixarem a Even Construtora, da qual foram fundadores e sócios.

LEIA MAIS: IBM supera as estimativas de lucro do 2º trimestre

A transação será coordenada por Itaú BBA, Bank of America, Santander, Caixa Econômica Federal e XP Investments, de acordo com o documento.

A empresa não informou no prospecto para quais fins pretende usar os recursos da venda de ações na oferta primária.

A Nortis é especializada na incorporação e construção de projetos de média-alta a altíssima renda, mas tem um braço de negócios, Vibra, focado nos segmentos de baixa renda e emergente, dentro do programa Minha Casa Minha Vida e do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo.

De acordo com o prospecto, a companhia tem um banco de terrenos na capital paulista para os próximos 30 meses, com valor geral de vendas potencial (VGV) de cerca de R$ 2,1 bilhões para desenvolvimento exclusivo, com 24% desse montante devendo ser lançado ainda em 2020.

A Nortis teve no primeiro semestre receita líquida operacional de R$ 93,7 milhões, alta de 168% ante mesma etapa de 2019.

O pedido da Nortis amplia a fila de construtoras esperando por registro para também concluir uma oferta de ações, após a taxa básica de juros no país ter caído a 2,25% ao ano, com o Banco Central tentando ajudar a combater os efeitos recessivos da pandemia do coronavírus.

De fato, segundo dados mais recentes da Abecip, os empréstimos destinados à aquisição e à construção de imóveis avançaram 23,2% de janeiro a maio ante mesma etapa de 2019, atingindo R$ 34,1 bilhões, com a entidade afirmando que até então houve impacto reduzido da crise sobre o setor.

LEIA TAMBÉM: Governo regulamenta novo programa para crédito de até R$ 120 bi a empresas menores

Mais cedo este mês, a Lavvi também pediu aval para IPO. Dias antes, a Riva 9 retomou planos de listagem, o mesmo que fez no fim de junho a também paulistana You Inc. Os processos de ambas haviam sido suspensos devido à volatilidade dos mercados provocada pela pandemia.

E a Inter Construtora, já listada no segmento de acesso Bovespa Mais, informou que está também avaliando realizar uma oferta pública de ações. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Participe do canal Forbes Saúde Mental, no Telegram, e tire suas dúvidas.

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).