Preços do petróleo caem com dólar forte e ressurgimento da Covid-19 em Europa e EUA

NurPhoto/GettyImages
NurPhoto/GettyImages

O petróleo dos Estados Unidos caía US$ 0,42, ou 1%, a US$ 40,55 por barril.

Os preços do petróleo estavam em queda hoje (16), pressionados por preocupações de que o aumento nos casos de Covid-19 na Europa e nos Estados Unidos reduza a demanda em duas das maiores regiões consumidoras de combustível no mundo, enquanto o dólar também afetava negativamente os preços.

O petróleo Brent recuava US$ 0,50, ou 1,2%, a US$ 42,00 por barril, às 9:26 (horário de Brasília). O petróleo dos Estados Unidos caía US$ 0,42, ou 1%, a US$ 40,55 por barril.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

Ambos os benchmarks caíram no dia anterior, mas permaneceram praticamente inalterados em relação à semana passada.

“A realidade é que agora estamos vendo uma disseminação bastante ativa da pandemia em toda a Europa e está se espalhando novamente na América do Norte, e isso potencialmente pesará na recuperação da demanda de petróleo”, disse Lachlan Shaw, head de pesquisa de commodities do Banco Nacional da Austrália.

Atualmente, alguns países europeus estão revivendo toques de recolher e lockdowns para combater o aumento de novos casos de coronavírus, com os britânicos impondo restrições mais severas em Londres a partir desta hoje (16).

Ontem, um comitê técnico da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), produtores de petróleo aliados e Opep+, que inclui outros países com importante produção de petróleo, encerraram sua reunião expressando preocupações sobre uma perspectiva de demanda fraca. Desse modo, Opep+ deve reduzir seus atuais cortes de oferta de 7,7 milhões de barris por dia (bpd) em 2 milhões de bpd em janeiro. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).