Oprah Winfrey vende a maior parte de sua participação no canal a cabo OWN

Com a operação, apresentadora embolsou cerca de US$ 36,5 milhões.

Madeline Berg
Compartilhe esta publicação:
Andrew Chin- Colaborador/ Getty Images
Andrew Chin- Colaborador/ Getty Images

Com a operação, apresentadora embolsou cerca de US$ 36,5 milhões

Acessibilidade


Oprah Winfrey, mais uma vez, ganhou muito dinheiro com o seu canal a cabo OWN – desta vez vendendo 20,5% para o proprietário majoritário, o Discovery, por 1,34 milhão de ações, ou algo em torno de US$ 36,5 milhões. Pela negociação, anunciada ontem (22), Oprah continuará sendo a CEO e diretora de criação do canal que leva seu nome. Representantes da OWN e do Discovery confirmaram o negócio.

O acordo avalia a Oprah Winfrey Network – canal que a apresentadora fundou pouco antes de encerrar seu lucrativo talk show em 2011 – em cerca de US$ 180 milhões, em média 37% a menos do que os US$ 285 milhões que a Forbes estimou em 2017, depois que o Discovery desembolsou US$ 70 milhões por uma participação de 24,5%.

LEIA MAIS: 5 lições que todo empreendedor deve aprender com Oprah

Oprah registrou 670.477 das 1,34 milhão de ações à venda, de acordo com um registro da Securities and Exchange Commission (SEC), a agência federal de regulamentação e controle dos mercados financeiros dos EUA. A Forbes estima que o patrimônio dela esteja ao redor de US$ 2,6 bilhões.

A ex-apresentadora lançou a OWN em 2011, em um negócio 50/50 com o Discovery, que apostou US$ 100 milhões na iniciativa. No início, o canal tinha programas jornalísticos e lutava para encontrar um público, mas começou a obter sucesso em 2012 graças à parceria com o produtor de cinema e ator Tyler Perry, marcando a primeira incursão do canal em programas de entretenimento. Em 2018, a OWN foi o lar de dois dos cinco principais programas de drama exibidos no cabo para mulheres entre 25 a 54 anos – as séries “Greenleaf” e “Queen Sugar”. Desde então, manteve seu público com conteúdos direcionados aos telespectadores negros, incluindo programas dos consagrados diretores negros Ava DuVernay e Will Packer.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Ainda assim, não é surpresa que o valor da OWN tenha caído nos últimos três anos. À medida que os telespectadores se voltam para os serviços de streaming, os conglomerados de TV a cabo se esforçam para acompanhar a tendência. No início deste mês, o Discovery anunciou que lançaria seu próprio serviço de streaming, o Discovery +. O streaming será o lar do conteúdo da OWN, incluindo programações jornalísticas e séries lideradas por Oprah.

Essa também não é a primeira vez que Oprah se envolve com as plataformas de streaming. Em 2018, ela assinou um acordo de nove dígitos por vários anos com a AppleTV +. O negócio colocou a apresentadora de novo na frente das câmeras com uma versão em vídeo de seu popular clube do livro, um programa sobre a pandemia de Covid-19 e um de entrevistas. O “The Oprah Conversation” apresenta diversos convidados ilustres, de líderes religiosos e celebridades a políticos, incluindo nomes como Barack Obama e Dolly Parton.

LEIA MAIS: Como Oprah conquistou sua fortuna de US$ 2,6 bilhões


Os programas, bem como os lucros da OWN e do “WW” (reality show de perda de peso conhecido anteriormente como “Weight Watchers”) e seu acordo com a editora Hearst para produzir a revista “O, The Oprah Magazine”, ajudaram Oprah a arrecadar US$ 37 milhões entre junho de 2019 e junho de 2020.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: