Ibovespa afunda quase 5% e Petrobras derrete 20% na B3 com saída de CEO

O Ibovespa afundou no primeiro pregão da semana, perdendo 4,87% aos 112.667 pontos, puxado pelas ações da Petrobras que derreteram mais de 20% hoje após o presidente Jair Bolsonaro indicar a substituição de Roberto Castello Branco pelo general Joaquim Silva e Luna no comando da estatal. O mandato do atual chefe da Petrobras encerra em 20 de março e a nova indicação depende de aprovação do conselho de administração da companhia.

O presidente sinalizou ainda que mais mudanças devem acontecer na Petrobras e no setor elétrico nos próximos dias. “Assim como eu dizia que queriam me derrubar na pandemia pela economia fechando tudo, agora resolveram me atacar na energia”, disse Bolsonaro a apoiadores em Brasília. “Vamos meter o dedo na energia elétrica que é outro problema também.”

O general Silva e Luna, indicado pelo governo brasileiro para substituir o atual presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, disse hoje que não discutiu e não tem uma opinião sobre uma eventual privatização da companhia.

“Não conversei em nenhum momento com o governo sobre o assunto, então não me considero em condições de fazer nenhum juízo de valor”, afirmou o general.

Repercussão

Depois da decisão, anunciada na sexta (19), analistas de mercado rebaixaram suas recomendações para as ações da estatal. A XP Investimentos cortou a recomendação para os papéis da Petrobras de “neutro” para “venda” no domingo, em relatório sob o título “Não há mais como defender”. O BTG Pactual rebaixou a recomendação para “neutra”, enquanto o Bradesco reduziu para “underperform”. O Credit Suisse baixou a recomendação para “underperform” e reduziu pela metade o preço-alvo para os papéis, de R$ 16 para R$ 8.

O Morgan Stanley removeu a recomendação “like” sobre os títulos soberanos do Brasil hoje, citando preocupações fiscais e potenciais repercussões da troca no comando da Petrobras. A recomendação anterior positiva sobre a dívida soberana brasileira dependia do governo tratar das preocupações fiscais por meio de reformas.

“As mudanças na Petrobras são preocupantes nesse sentido, já que mostram que a tolerância a políticas impopulares é baixa, talvez direcionada por considerações eleitorais”, disseram analistas do banco.

A gerência de acompanhamento de empresas da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) abriu hoje investigação envolvendo a Petrobras. Pela legislação societária, empresas listadas em bolsa, como a Petrobras, devem comunicar informações importantes como essa por meio de um fato relevante, o que não aconteceu.

Dólar e Wall Street

O dólar começou a semana em alta frente ao real, avançando 1,26% a R$ 5,45 na venda, impulsionado pelo aumento do risco político no ambiente doméstico. A moeda desacelerou os ganhos ao longo da tarde, após atuação do Banco Central e alguma melhora no exterior.

O BC vendeu hoje US$ 1 bilhão em novos contratos de swap cambial tradicional: 11.700 contratos para vencimento em 1º de outubro de 2021 e 8.300 para 1º de junho. O dólar chegou a desacelerar os ganhos, descendo a R$ 5,4757 na mínima após a operação, mas voltou a ganhar força ao longo do dia.

O leilão de novos swaps pelo BC teve o objetivo de reduzir o gap de depreciação entre o real e seus pares. Ainda assim, enquanto o dólar subia cerca de 2%, a moeda brasileira ganhava 1,4% ante peso mexicano e lira turca e 0,9% contra o rand sul-africano.

O BC também fez nesta sessão operações para rolagem de contratos de swap cambial vincendos em abril e de linhas de dólares com compromisso de recompra que vencem em março.

No exterior, os índices acionários dos Estados Unidos fecharam em campo misto, com os crescentes rendimentos dos Treasuries (títulos da dívida pública norte-americana) e perspectivas de aumento da inflação aumentando as preocupações com os preços das ações, principalmente entre os papéis dos setores de crescimento, como as ações de tecnologia.

“A maioria das ações de crescimento se beneficia da queda da taxa de juros. Se a expectativa é de os juros subirem, isso reduziria o valor intrínseco das ações de crescimento”, explica Sam Stovall, estrategista-chefe de investimento da CFRA Research.

Os rendimentos dos Treasuries de dez anos já alcançaram 1,3940%, acima da marca psicológica de 1,30%.

No fechamento, o Nasdaq Composite, índice com forte peso das ações de tecnologia, despencou 2,46% aos 13.533 pontos. O S&P 500 teve queda de 0,77% aos 3.876 pontos e o Dow Jones terminou o dia em alta de 0,09% aos 31.521 pontos. (Com Reuters)

DESTAQUES DO IBOVESPA

Maiores Altas
LAME4: +19,88% a R$ 28,95
EMBR3: +7,40% a R$ 12,48
CIEL3: +4,76% a R$ 3,74
PRIO3: +3,71% a R$ 92,19
KLBN11: +3,21% a R$ 30,57

Maiores Baixas
PETR4: -21,51% a R$ 21,45
PETR3: -20,48% a R$ 21,55
BBAS3: -11,65% a R$ 28,83
UGPA3: -7,83% a R$ 21,07
VVAR3: -7,57% a R$ 12,94

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).