China aplica multa recorde de US$ 2,75 bilhões ao Alibaba por violações de regras antimonopólio

Thomas Peter/Reuters
Thomas Peter/Reuters

A multa aplicada ao Alibaba Group, no valor de US$ 2,75 bilhões, corresponde a 4% do faturamento doméstico da empresa em 2019

A China aplicou uma multa recorde de 18 bilhões de iuanes (US$ 2,75 bilhões) ao Alibaba Group Holding Ltd hoje (10), após uma investigação antimonopólio concluir que a gigante do e-commerce abusou da sua posição dominante no mercado durante vários anos.

A multa, de cerca de 4% das receitas domésticas do Alibaba em 2019, foi aplicada em meio a um endurecimento contra conglomerados de tecnologia e indica que a fiscalização antitruste da China a plataformas de internet entrou em uma nova era, após anos de uma abordagem laissez-faire.

VEJA TAMBÉM: Fundador do Alibaba perde título de mais rico da China

O império do Alibaba começou a ser fiscalizado mais de perto na China desde as críticas públicas de seu fundador Jack Ma ao sistema regulatório do país em outubro.

Um mês depois, as autoridades negaram um IPO de US$ 37 bilhões do Ant Group, a fintech do Alibaba, que era para ser o maior do mundo. A Administração Estatal de Regulação do Mercado (SAMR, sigla em inglês) anunciou a investigação antitruste à empresa em dezembro.

Embora a multa signifique que o Alibaba está um passo mais próximo de resolver seus problemas antitruste, o Ant ainda precisa concordar com uma reestruturação regulatória que deve reduzir drasticamente as suas avaliações e controlar alguns de seus negócios mais autônomos.

“Essa multa é vista pelo mercado como o fim do caso antimonopólio por enquanto. É mesmo o caso mais notório antimonopólio da China”, disse Hong Hao, chefe de pesquisa do BOCOM International de Hong Kong. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).