Fundador do Alibaba perde título de mais rico da China

Aly Song/Reuters
Aly Song/Reuters

Em dezembro, os reguladores de mercado chineses abriram investigação antitruste envolvendo o Alibaba, o que derrubou a fortuna de Jack Ma

O fundador do Alibaba e do Ant Group, Jack Ma, perdeu o título de homem mais rico da China, mostrou ranking publicado hoje (2), em meio ao escrutínio de seus negócios por reguladores chineses.

Ma e sua família ocuparam o primeiro lugar entre os mais ricos da China na “Hurun Global Rich List” em 2020 e 2019, mas agora estão em quarto lugar atrás de Zhong Shanshan, da fabricante de água engarrafada Spring; de Ma Huateng, da Tencent Holding, e de Collin Huang, da empresa de e-commerce Pinduoduo, mostrou a lista mais recente.

No ranking dos bilionários da Forbes, Jack Ma também ocupa o 4º lugar na China, com US$ 49 bilhões, atrás de Zhong Shanshan (US$ 74,3 bilhões), Ma Huateng (US$ 67,6 bilhões) e Colin Zheng Huang (US$ 64,3 bilhões).

LEIA TAMBÉM: Receita do Alibaba sobe 38% no 4° tri, acima das previsões de Wall St

A queda de Ma ocorre “depois que os reguladores da China frearam o Ant Group e o Alibaba com questões antitruste“, disse a reportagem da Hurun.

Os problemas recentes do executivo foram desencadeados por um discurso em outubro, no qual ele atacou o sistema regulatório da China, o que acarretou na suspensão do IPO de US$ 37 bilhões de sua unidade financeira Ant Group.

Os reguladores, desde então, reforçaram o escrutínio antitruste no setor de tecnologia daquele país, com o Alibaba ocupando grande parte dos holofotes. Em dezembro, o regulador de mercado abriu investigação antitruste envolvendo o Alibaba.

Os reguladores chineses também começaram a apertar seu controle sobre o setor de fintech e pediram à Ant para converter alguns de seus negócios em uma holding financeira a ser regulamentada como as instituições financeiras tradicionais.

Ma, que não é conhecido por se esquivar dos holofotes, não apareceu publicamente por cerca de três meses, gerando especulações sobre seu paradeiro. Ele reapareceu em janeiro em um vídeo de 50 segundos.

O homem mais rico da China, Zhong Shanshan, ocupou o topo pela primeira vez com uma fortuna de 550 bilhões de iuanes (US$ 85 bilhões), em grande parte graças ao desempenho das ações da Nongfu Spring e da fabricante de vacinas Beijing Wantai Biological Pharmacy Enterprise, que também controla.

Pony Ma, da Tencent, viu sua riqueza aumentar 70% ao longo do ano para 480 bilhões de iuanes (US$ 74 bilhões), enquanto a fortuna de Collin Huang, da Pinduoduo, cresceu 283%, para 450 bilhões de iuanes (US$ 69 bilhões), disse o ranking. Em comparação, a riqueza de Ma e sua família cresceu 22%, para 360 bilhões de iuanes (US$ 55 bilhões).

Zhang Yiming, fundador da ByteDance, dona da TikTok, entrou pela primeira vez nas cinco primeiras posições entre os bilionários chineses na lista da Hurun, com uma fortuna pessoal estimada em US$ 54 bilhões. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).