Ibovespa fecha em alta com commodities às vésperas de dados da inflação nos EUA

O Ibovespa encerrou em leve alta o pregão desta quarta-feira (9), avançando 0,09% aos 129.906 pontos, apoiado na valorização de ações do setor de commodities após quedas nos estoques de minério de ferro na China. O dia foi de oscilação na Bolsa, mas a tendência segue positiva para o índice brasileiro. Na análise de Rafael Ribeiro, da Clear Corretora, a tendência de alta é conservada enquanto o Ibovespa seguir acima dos 120 mil pontos.

O mercado digeriu hoje os dados da inflação oficial de maio, acima do esperado e no nível mais elevado para o mês em 25 anos, sob pressão, principalmente, da energia elétrica. O IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) acelerou 0,83% no mês passado, depois de subir 0,31% em abril, de acordo com os dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Com isso, o índice acumulado em 12 meses disparou a 8,06%, ante 6,76% em abril. A expectativa era de alta de 7,93%.

A escalada do IPCA aumenta a atenção em torno do cenário inflacionário e da política monetária brasileira. A próxima reunião do Copom (Comitê de Política Monetária) do Banco Central acontece nos dias 15 e 16 de junho e a expectativa do mercado é de nova elevação na taxa Selic, para 4,25% ao ano.

Ainda no contexto doméstico, a Câmara dos Deputados instalou hoje a comissão especial que irá analisar o mérito da reforma administrativa, cumprindo mais um passo na tramitação da PEC (Proposta de Emenda à Constituição) que pretende reorganizar o Estado brasileiro. O deputado Fernando Monteiro (PP-PE) foi eleito presidente do colegiado, que terá até 40 sessões do plenário da Câmara para emitir um parecer, enquanto a relatoria da proposta ficou a cargo de Arthur Oliveira Maia (DEM-BA).

Para amanhã (10), o mercado aguarda a decisão monetária do BCE (Banco Central Europeu) e a divulgação dos preços ao consumidor nos EUA medidos pelo CPI (Consumer Price Index), com expectativa de leve arrefecimento no avanço da inflação norte-americana. Analistas projetam o CPI em 0,4% em maio, ante alta de 0,8% em abril, elevando a taxa em 12 meses para 4,7%.

Os índices de ações em Wall Street terminaram o dia em queda, com investidores ampliando o movimento de cautela antes dos dados da inflação. O mercado norte-americano tem operado com baixa volatilidade nas últimas sessões enquanto investidores acompanham o avanço inflacionário, problemas no mercado de trabalho, escassez de matérias-primas e possíveis sinais de mudanças no posicionamento do Federal Reserve na condução da política monetária. O próximo encontro do FOMC (Federal Open Market Committee) acontece também nos dias 15 e 16 deste mês.

No fechamento, o Dow Jones 0,44% aos 34.447 pontos, o S&P 500 teve queda de 0,18% aos 4.419 pontos e o Nasdaq caiu 0,09% aos 13.911 pontos.

O dólar abandonou as perdas do início do dia e fechou em alta contra o real nesta quarta-feira, ganhando 0,67% e negociado R$ 5,0687 na venda, apoiado numa onda de compras, enquanto investidores seguem à espera da inflação norte-americana e das decisões de política monetária.

“O IPCA mais forte que o esperado ajudou a moeda buscar mínimas (…), porém, logo nas primeiras horas de pregão, ela inverteu sinal e começou a subir com compras por partes de tesourarias bancárias e importadores, atraídos pelo preço ‘barato’ do dólar”, disse em nota Guilherme Esquelbek, da Correparti Corretora, sobre o movimento desta quarta-feira. (com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).