Economia do Japão se recupera no 2º trimestre mas Covid-19 ainda é uma ameaça

Dados indicam que o consumo e os gastos de capital estão melhorando depois do impacto inicial da pandemia

Redação
Compartilhe esta publicação:
Kim Kyung-Hoon/Reuters
Kim Kyung-Hoon/Reuters

Supermercado na cidade de Chiba, Japão

Acessibilidade


A economia do Japão recuperou-se mais do que o esperado no segundo trimestre depois de contrair nos três primeiros meses do ano, mostraram dados, em um sinal de que o consumo e os gastos de capital estão melhorando depois do impacto inicial da pandemia de coronavírus.

Mas muito analistas projetam que o crescimento permanecerá modesto no trimestre atual já que as contenções emergenciais que voltaram a ser adotadas para combater um salto nas infecções pesam sobre os gastos das famílias.

LEIA TAMBÉM: Os NFTs são o novo Napster? Entenda a ameaça dessa tecnologia para a indústria da música

A terceira maior economia do mundo cresceu 1,3% em taxa anualizada no período entre abril e junho, após queda revisada de 3,7% no primeiro trimestre, mostraram hoje (16) dados preliminares do Produto Interno Bruto (PIB).

O resultado superou a expectativa do mercado de avanço de 0,7%.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

“Não há muito para ser otimista no cenário com um salto nas infecções aumentando a chance de restrições mais rigorosas à atividade”, disse Yoshihiki Shinke, economista-chefe do Dai-ichi Life Research Institute.

“A economia do Japão estagnou no primeiro semestre deste ano e existe o risco de contração entre julho e setembro. Qualquer retomada clara no crescimento terá que esperar até o fim do ano”, disse ele.

O consumo subiu 0,8% no segundo trimestre em relação ao período anterior, contra expectativa de queda de 0,1% e recuperando-se do recuo de 0,1% entre janeiro e março, mostraram os dados.

Os gastos de capital também aumentaram 1,7%, depois de recuo de 1,3% no trimestre anterior. Como resultado, a demanda doméstica contribuiu com 0,6 ponto ao crescimento do PIB.

VEJA MAIS: ‘Sobe no boato e cai no fato’: 7 rumores que mexeram com o mercado

As exportações subiram 2,9% entre abril e junho sobre o trimestre anterior, em um sinal de que a recuperação global continua a sustentar a terceira maior economia do mundo. (Com Reuters)

 

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: