Forbes Radar: BRF, Petrobras, Nestlé, Cosan e outros destaques corporativos

Últimas notícias sobre: BRF, Petrobras, Nestlé, L’Óreal, Cosan, Via Varejo, Unipar, Lojas Quero-Quero, Twitter, Enauta, Mars Wrigley e Ubisoft.

Mariangela Castro
Compartilhe esta publicação:

Acessibilidade


No Forbes Radar de hoje (8), a BRF estima receita líquida de R$ 65 bilhões para o período de 2021 a 2024, conforme fato relevante divulgado ontem (7). Em dezembro passado, empresa estimou receita de R$ 65 bilhões para o intervalo 2021-23.

Já a Petrobras elevou a produção de gasolina e diesel no quarto trimestre, após concluir paradas de manutenção preventivas em refinarias, com aportes de R$ 2 bilhões neste ano.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

Veja estes e outros destaques corporativos do dia:

BRF (BRFS3)

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A companhia de alimentos BRF estimou receita líquida de R$ 65 bilhões para o período de 2021 a 2024, conforme fato relevante divulgado ontem (7). Em dezembro passado, a empresa projetou receita de R$ 65 bilhões para o intervalo 2021-23.

A companhia manteve a expectativa de investimentos até 2030 em cerca de R$ 55 bilhões, incluindo os desembolsos realizados em 2021, com estabelecimento de limite prudencial de alavancagem financeira líquida de até 3 vezes.

Para o intervalo 2021-24, a BRF estimou aumento de duas vezes do lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda), em relação aos 12 meses findos em 30 de setembro de 2020 –considerado ano-base para a estratégia “Visão 2030”.

Já entre 2025 e 2027, a expectativa é de elevação da receita líquida e do Ebitda em torno de 2,5 vezes em relação ao fim de setembro do ano passado. E a projeção de crescimento da receita no mercado brasileiro foi fixada em mais de 60%.

A BRF disse ainda que estimativa receita líquida superior a R$ 100 bilhões e de avanço do Ebitda em mais de 3,5 vezes para o período de 2028 a 2030, contra o ano-base, com margem Ebitda média acima de 15%, margem líquida média de 6% e retorno sobre o capital investido de 16%, aproximadamente.

Petrobras (PETR3, PETR4)

A Petrobras elevou a produção de gasolina e diesel no quarto trimestre, após concluir paradas de manutenção preventivas em refinarias, com aportes de R$ 2 bilhões neste ano, informou a companhia ontem (7) em nota à Reuters.

Em outubro e novembro, a média de produção mensal de gasolina nas refinarias da Petrobras subiu 17% ante o segundo trimestre, enquanto a produção de diesel cresceu 8% no mesmo período, disse a empresa. A estatal não detalhou a variação contra o mesmo período de 2020.

Com isso, o fator de utilização das refinarias da Petrobras fechou novembro em 87% da capacidade, 12 pontos percentuais acima do segundo trimestre. Ao todo, segundo a empresa, foram inspecionados nas paradas de manutenção mais de 4 mil equipamentos em todas as refinarias da companhia.

A Petrobras anunciou, em seu Plano Estratégico 2022-2026, que investirá US$ 6,1 bilhões no refino nos próximos cinco anos. A empresa ressaltou que buscará projetos para posicionar a companhia entre as melhores refinadoras do mundo, em termos de eficiência e desempenho operacional, com produtos de maior valor agregado e menor emissão de carbono.

Nestlé (SWX: NESN) e L’Oreal (EPA: OR)

A Nestlé disse ontem (7) que reduzirá sua fatia na L’Oreal para cerca de 20% com a venda de ações no valor de € 8,9 bilhões para a marca francesa de cosméticos, enquanto a fabricante do Nescafé se concentra em suas principais divisões de alimentos e bebidas.

Após o negócio, a Nestlé deterá 20,1% da L’Oreal, contra 23,3% anteriormente. A L’Oreal, por sua vez, comprará de volta ações representativas de 4% de seu capital e as cancelará.

A L’Oreal, que está pagando € 400 por ação, disse que o negócio terá um efeito de acréscimo no lucro por ação da empresa de mais de 4% em um ano. As ações da L’Oréal fecharam em alta de 3,96% ontem (7), a € 424,8, enquanto as ações da Nestlé subiram 0,1%, para 121,9 francos suíços.

Cerca de quatro anos atrás, a L’Oreal destacou sua grupo suíço tivesse interesse em vender. Em outubro de 2019, a Nestlé fechou a venda de seu negócio de saúde para a pele por 10,2 bilhões de francos suíços, à medida que passou a abandonar negócios de baixo desempenho.

A participação da Nestlé na gigante da beleza tem sido objeto de intenso escrutínio ao longo dos anos. A empresa suíça manteve seu interesse tanto financeiro quanto estratégico, mesmo com um investidor ativista pedindo sua alienação. Em 2014, a empresa reduziu sua participação, então de 31%.

Unipar (UNIP6)

A Unipar Carbocloro vai receber US$ 80 milhões no quarto trimestre, após acordo relacionado à aquisição da Indupa, disse a companhia em fato relevante ontem (7).

A empresa chegou a um acordo com a companhia belga Solvay, que vendeu a Solvay Indupa para a Unipar em dezembro de 2016. As partes acertaram algumas condições do contrato ontem (7), disse uma fonte com conhecimento do assunto.

Quando o negócio foi fechado, a Indupa foi avaliada em US$ 202 milhões. A Unipar também vai realizar o pré-pagamento de uma dívida de US$ 136 milhões da Indupa, usando recursos de uma emissão de longo prazo, a fonte acrescentou.

Cosan (CSAN3)

A Cosan divulgou na noite de ontem, aos acionistas, a distribuição de R$ 700 milhões em dividendos, o equivalente a R$ 0,374619350 por ação ordinária, desconsideradas as ações em tesouraria. O pagamento terá como base a posição acionária da empresa no dia 14 de dezembro e será realizado no dia 28 de dezembro.

Via Varejo (VIIA3)

A varejista Via comunicou na noite de ontem (7) aprovação da abertura de um programa de recompra de ações, com objetivo de adquirir papéis de sua emissão para fazer frente aos programas de incentivo de longo prazo e retenção dos principais executivos empresa.

Com este direito de recompra podem ser adquiridas até 18 milhões de ações ordinárias, nominativas, escriturais e sem valor nominal, de emissão da Via Varejo. Este número é correspondente a até 1,126% do total de ações da empresa, e até 1,127% das ações em circulação.

O prazo máximo para realizar a recompra é de até 18 meses, iniciando-se ontem (7) até 7 de junho de 2023.

Lojas Quero-Quero (LJQQ3)

As Lojas Quero-Quero comunicaram na manhã de hoje (7) a projeção de abertura de 70 a 85 novas lojas até 31 de dezembro de 2022. Segundo a empresa, a projeção foi elaborada considerando o histórico e a estratégia de expansão geográfica da companhia, a disponibilidade de recursos para financiar a expansão e a capacidade de obtenção de pontos atraentes com retornos adequados.

A rede de lojas também levou em consideração que possui, atualmente, 50 novas lojas já contratadas para inauguração durante o próximo ano. A estimativa, porém, não constitui em promessa de desempenho, ressalta a empresa.

Twitter (TWTR34)

O Twitter anunciou ontem (7) que comprou a Quill, empresa que desenvolve uma plataforma de rede social, para ampliar suas ferramentas de mensagens. A plataforma da Quill é rival da Slack, controlada pela Salesforce e que se tornou uma ferramenta de mensagens comum em muitas companhias.

A equipe da Quill vai ajudar o Twitter a desenvolver sua ferramenta de mensagens diretas e torná-la uma forma mais útil para as pessoas manterem conversas na rede social, segundo Nick Caldwell, diretor geral do Twitter para tecnologia. A Quill afirmou em comunicado que vai fechar seu serviço conforme integra sua equipe com a do Twitter.

Enauta (ENAT3)

Principal ativo de produção de petróleo da Enauta, o campo de Atlanta na Bacia de Santos está operando no sistema de produção antecipada, com capacidade de produção reduzida, de cerca de 12 mil a 13 mil barris por dia (bpd).

A companhia está realizando a contratação de equipamentos e fornecedores para o projeto, que no futuro poderá atingir uma produção de 50 mil a 60 mil barris por dia (bpd). Leia aqui a notícia completa.

Mars Wrigley (NYSE: WWY)

A Mars Wrigley, dona das marcas Twix, M&M´s e Snickers, lança nesta quarta-feira, 8, um e-commerce como parte de sua nova fase de transformação digital. O Brasil será o primeiro mercado da Mars a receber uma loja virtual de venda direta. O foco da plataforma, de acordo com a empresa, é 100% pessoa física e a premissa é ampliar capacidade de distribuição e experiência aos consumidores. Leia aqui a notícia completa.

Ubisoft (EPA: UBI)

A Ubisoft, desenvolvedora proprietária de games como Assassin’s Creed e Rainbow Six, lançou a Ubisoft Quartz, plataforma que permite a compra de NFTs a serem utilizados dentro dos jogos. Os Digits, nome dado aos tokens comercializados, funcionarão inicialmente em versão beta dentro do jogo Tom Clancy´s Ghost Recon Breakpoint para PC e terão edições limitadas. Leia aqui a notícia completa.

(Com Reuters)

Compartilhe esta publicação: