Bolsa de Valores hoje: Ibovespa abre em alta à espera dos dados de inflação nos EUA

A expectativa é de que o CPI (Índice de Preços ao Consumidor) tenha aumentado mais de 7% em janeiro na base anualizada.

Isabella Velleda
Compartilhe esta publicação:

Acessibilidade


O Ibovespa opera em alta de 0,17% na abertura do pregão de hoje (10), a 112.651 pontos, às 10h30, horário de Brasília. A sessão é marcada por cautela enquanto investidores de todo o mundo aguardam a divulgação dos dados de inflação nos Estados Unidos.

A expectativa é que o CPI (Índice de Preços ao Consumidor) tenha aumentado mais de 7% em janeiro na base anualizada, um nível semelhante aos choques inflacionários das décadas de 1970 e 1980. Apesar disso, economistas esperam que o dado continue mostrando uma diminuição no ritmo de alta mês a mês.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

“O que vimos é que a inflação não piorou na comparação mês a mês, e tenho esperança que isso se traduza em um declínio lento conforme avançamos até o segundo semestre”, disse o presidente do Federal Reserve, banco central norte-americano, de Atlanta, Raphael Bostic.

Uma diminuição nas altas permitiria que o Federal Reserve, banco central dos EUA, eleve as taxas de juros em um ritmo mais lento. Há um amplo consenso no órgão para começar a subir os juros na reunião de política monetária de 15 a 16 de março.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

No Brasil, investidores reagem a resultados da Petrobras (PETR3 e PETR4). A petrolífera anunciou que as vendas de derivados do petróleo no mercado interno somaram 1,848 milhão de barris por dia no quarto trimestre de 2022, alta de 4,7% ante o mesmo período do ano passado. As ações sobem 1% e 1,28%, respectivamente.

O dólar opera em queda de 0,13%, negociado a R$ 5,2189 na venda.

Na Ásia, o índice japonês Nikkei fechou em alta impulsionado por balanços financeiros positivos. A Honda Motor avançou 5,6% após apresentar lucro mais alto do que o previsto pelo mercado, enquanto a Shiseido subiu 6,8%, apesar de divulgar que espera um ligeiro declínio no seu lucro este ano.

Na China, o índice Shangai também registrou ganhos, embora limitados pelo setor de tecnologia. A fabricante de baterias Contemporary Amperex Technology e outras empresas de consumo recuaram sob temores de juros norte-americanos mais altos e sanções comerciais.

O Hang Seng, de Hong Kong, subiu 0,38%; e o BSE Sensex, de Mumbai, fechou o dia em alta de 0,79%. No Japão, o índice Nikkei ganhou 0,42%, enquanto o Shangai, na China continental, subiu 0,17%.

Na Europa, os principais índices também sobem. A Comissão Europeia afirmou hoje que o crescimento econômico da zona do euro neste ano será mais lento do que o esperado. Em suas projeções econômicas regulares, a instituição disse que o PIB (Produto Interno Bruto) dos 19 países que integram o grupo crescerá 4,0% este ano e 2,7% em 2023.

“Obstáculos múltiplos esfriaram a economia da Europa: a rápida disseminação da Ômicron e a nova alta da inflação devido ao aumento dos preços de energia e interrupções persistentes na cadeia de oferta”, disse o Comissário Econômico Europeu, Paolo Gentiloni.

Por volta das 10h30, o Stoxx 600 ganhava 0,10%; na Alemanha, o DAX subia 0,49%; na França, o CAC 40 operava em queda de 0,03%; na Itália, o FTSE MIB ganhava 0,34%; enquanto, no Reino Unido, o FTSE 100 avançava 0,15%.

No cenário das commodities, os contratos futuros do petróleo operam em alta moderada, ampliando o movimento de ontem. O avanço foi impulsionado pela queda nos estoques dos EUA em quase cinco milhões de barris, bem como pelo aumento da demanda por combustível para uma alta histórica. (Com Reuters)

Compartilhe esta publicação: