Tereos eleva lucro com preços compensando quebra de safra de cana no Brasil

O grupo confirmou a meta de atingir o Ebitda em uma base de 12 meses de 600-700 milhões de euros até o final de setembro de 2022.

Da Reuters
Compartilhe esta publicação:

 

Acessibilidade


A Tereos, a segunda maior produtora de açúcar do mundo em volume, disse que o lucro ajustado antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) para o trimestre encerrado em 31 de dezembro subiu 65% a taxas de câmbio constantes para 223 milhões de euros (254 milhões de dólares).

O grupo confirmou a meta de atingir o Ebitda em uma base de 12 meses de 600-700 milhões de euros até o final de setembro de 2022. Nos 12 meses encerrados em 31 de dezembro, o indicador atingiu 516 milhões de euros.

A cooperativa francesa espera que os preços do açúcar permaneçam altos, pois vê o mercado mundial permanecendo em déficit pelo terceiro ano consecutivo, enquanto a Europa enfrenta questões relacionadas à oferta.

Para seus negócios de amido, no qual o aumento dos volumes apoiou os resultados do terceiro trimestre, a Tereos disse que repassaria os custos crescentes de cereais e energia nos preços de venda.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A empresa disse esta semana que o CEO Philippe de Raynal estava deixando o grupo depois de apenas um ano e seria substituído interinamente pelo diretor financeiro Gwenael Elies.

A equipe de De Raynal, que priorizou a desalavancagem da cooperativa altamente endividada, fez uma ampla revisão de suas atividades. Isso levou à venda de suas operações de amido na China, à saída do setor de malte e ao lançamento de um processo para encerrar seu negócio de açúcar deficitário na Romênia.

A Tereos disse que sua dívida líquida estava em 2,52 bilhões de euros no final de 2021, um nível estável em relação a 31 de março, e abaixo dos 2,7 bilhões de euros um ano antes.

Compartilhe esta publicação: